Artigos de apoio

advérbio

Classe gramatical de palavras que tem como principal função modificar outras palavras ou frases. A etimologia da sua designação (de adverbium) parece relacionar os advérbios com os verbos, muitas vezes apelidados de "adjetivos do verbo", como se de adjuntos verbais se tratasse. Mas na verdade, os advérbios não modificam apenas os verbos, mas também os adjetivos, outros advérbios e frases:

i) Não tenho dormido muito. - modificação do verbo
ii) A marquesa ficou completamente lívida. - modificação do adjetivo
iii) Este avião desloca-se bastante depressa. - modificação do advérbio
iv) Felizmente, ganhámos todas as competições. - modificação da frase

Em relação ao seu comportamento morfológico, os advérbios não são flexionáveis mas são graduáveis, pelo processo da derivação de palavras e pela sua associação com outros advérbios, à semelhança dos adjetivos. Assim, os advérbios são graduáveis no comparativo e no superlativo:

Grau comparativo de superioridade
mais cedo do que
Grau comparativo de igualdade
tão cedo como
Grau comparativo de inferioridade
menos cedo que
Grau superlativo analítico
muito cedo
Grau superlativo sintético
cedíssimo

Nota: os advérbios bem e mal apresentam irregularidades nos graus comparativo (melhor, pior) e superlativo (otimamente, pessimamente).

Os advérbios são uma classe aberta que sofre renovação lexical por diversas vias:

1. por derivação, no caso dos advérbios de modo terminados em <-mente> (ex: amavelmente; justamente, etc.), que resultam do acrescentamento do sufixo à forma feminina do adjetivo;
2. por derivação, por recurso a sufixos diminutivos (ex: até loguinho!; amanhã bem cedinho);
3. por adverbialização do adjetivo (ex: falar baixo; pagar caro; vestir jovem).

Ainda em relação à sua morfologia, existem advérbios simples e locuções adverbiais. O número de advérbios simples é inferior ao número de locuções adverbiais. As locuções adverbiais são combinações entre uma preposição e um nome, ou um adjetivo ou um advérbio e exercem uma função sintática adverbial, de complemento circunstancial na frase. Advérbios simples e locuções adverbiais são tradicionalmente classificados a partir de um critério semântico, que os distingue por categorias em advérbios de tempo, de lugar, de modo, de afirmação, de negação, etc., conforme se pode observar a seguir:

ADVÉRBIOS SIMPLES

Tempo
hoje; logo; primeiro; ontem; tarde; outrora; amanhã; cedo; dantes; depois; ainda; antigamente; antes; doravante; nunca; então; ora; jamais; agora; sempre; já; enfim; etc.
Lugar
aqui; antes; dentro; ali; adiante; fora; acolá; atrás; além; lá; detrás; aquém; cá; acima; onde; perto; aí; abaixo; aonde; longe; debaixo; algures; defronte; nenhures; etc.
Modo
bem; mal; melhor; pior; assim; aliás; depressa; devagar; como; debalde; sobremodo; sobretudo; sobremaneira; quase; principalmente advérbios de modo terminados em <-mente>
Quantidade
muito; pouco; mais; menos; demasiado; quanto; quão; tanto; tão; assaz; quão; tudo; nada; todo; bastante; quase
Afirmação
sim; certamente; realmente; decerto; efetivamente; etc.
Negação
não; nem; nunca; jamais; etc
Dúvida
acaso; porventura; possivelmente; provavelmente; quiçá; talvez
Exclusão
apenas; exclusivamente; salvo; senão; somente; simplesmente; só; unicamente
Inclusão
ainda; até; mesmo; inclusivamente; também
Intensificação
bastante, bem, mais, menos, muito, pouco, quanto, quase, tão, tanto
Interrogação
onde? para onde? donde? até onde? desde onde? quando? desde quando? até quando? a partir de quando? para quando? por que? como?

LOCUÇÕES ADVERBIAIS

Tempo
à noite; à tarde; às vezes; de dia; de manhã; de noite; de quando em quando; de vez em quando; de tempos a tempos; em breve; por vezes
Lugar
à direita; à esquerda; à distância; ao lado; ao largo; de cima; de dentro; de fora; de longe; de perto; em baixo; em cima; para dentro; para onde; por ali; por aqui; por dentro; por fora; por perto
Modo
a custo; à pressa; à toa; à vontade; às avessas; às claras; às direitas; às escuras; ao acaso; a torto e a direito; ao contrário; a sós; de bom grado; de cor; de má vontade; em geral; em silêncio; em vão; etc.
Quantidade
de muito; de pouco; de todo
Afirmação
com certeza; com efeito; de facto; na verdade; sem dúvida
Negação
de forma alguma; de maneira nenhuma; de modo algum

Quanto ao seu funcionamento sintático, os advérbios podem ser:

1. intrafrásicos, quando dependem do verbo ou de um dos complementos do verbo:

v) Eles andam realmente ocupados. (dependente de "ocupados")

2. extrafrásicos, ou advérbios de enunciação, quando afetam a frase/enunciado no seu todo, e não apenas uma palavra; refletem normalmente a atitude do enunciador perante um enunciado, exprimem a modalidade do enunciador, o seu estado de espírito, as suas certezas/incertezas, as suas opiniões em relação ao conteúdo do seu discurso:

vi) Realmente, eu devia ter-lhes dado ouvidos.
vii) Francamente, já tens idade para ter juízo!

Os advérbios podem mover-se com relativa liberdade na frase, embora existam casos em que os advérbios assumem posições mais fixas, como no caso dos advérbios que modificam um verbo (ex: Fumava vagarosamente - posição pós-verbal) ou um adjetivo (ex: Estava tão contente! - anteposição em relação ao adjetivo) e que não sejam de tempo ou de lugar.

A progressiva constatação do estatuto diferente que estes advérbios extrafrásicos possuem, levou a uma reclassificação ainda em curso destes advérbios, baseado no facto de a sua função não ser morfossintática, mas sim discursiva.
Mário Vilela apresenta uma proposta de classificação destes advérbios modalizadores:

1. Advérbios avaliativos: (in)felizmente, estranhamente, miraculosamente, naturalmente, curiosamente.
2. Advérbios assertivos: possivelmente, seguramente, provavelmente, certamente, incontestavelmente.
3. Advérbios de agenciamento no discurso que implicam:
a) uma ordenação discursiva: primeiramente, finalmente, antes, depois, seguidamente, etc.
b) uma distribuição: respetivamente, sucessivamente, etc.
c) uma analogia: igualmente, simultaneamente, paralelamente, etc.
d) uma oposição: contrariamente, etc.
4. Advérbios metalinguísticos (o enunciador informa acerca da formalinguística do texto): textualmente, concretamente, literalmente, brevemente, etc.
5. Advérbios que indicam uma reformulação do discurso: aliás, ou antes, isto é, ou melhor, por assim dizer, por outras palavras, noutros termos, etc.
6. Advérbios de enquadramento nocional: filosoficamente, politicamente, morfologicamente, sob um ponto de vista linguístico/político, etc.
7. Advérbios de enunciação: confidencialmente, francamente, sinceramente, pessoalmente, honestamente, seriamente, etc.

Há ainda outros advérbios que cumprem funções gramaticais de substituição de outras palavras, como é o caso dos advérbios pronominais. Estes advérbios são muitas vezes anafóricos, tendo uma função de substituição que os aproxima dos pronomes:

viii) O hotel onde passámos férias abriu falência.
ix) As tropas invasoras abandonaram o local. Só então se pôde restabelecer o comércio.

À semelhança dos pronomes, há vários tipos de advérbios pronominais:

Demonstrativos
aqui, lá, aí, então, outrora
Interrogativos
onde, quando, daí, como
Relativos
onde
Indefinidos
nenhures, algures

Outros ainda desempenham funções de ligação entre frases - são os chamados advérbios conjuncionais:

x) Estudaram muito pouco, daí terem tido maus resultados nos exames.

Outros advérbios especializaram ainda os seus usos com vista a refletir dimensões discursivas. É o caso das partículas de realce e as designadas partículas modais:

PARTÍCULAS/MARCADORES MODAIS

Realce
cá, lá, é que, só, mas é, só
Modais
afinal, agora, então, sempre, mas

Exemplos:
xi) Eu não comprava esse carro.
xii) Sempre foste de férias para o Brasil?
xiii) Então que me diz a marcarmos uma reunião?
Como referenciar: in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-20 02:16:54]. Disponível na Internet: