Artigos de apoio

antonímia

Relação de sentido estabelecida entre dois lexemas que apresentam significados opostos. Segundo a TLEBS, a antonímia continua a significar uma relação semântica de oposição de significado entre duas palavras, no entanto, nomeia de forma diferente os tipos existentes de antonímia.
Os antónimos são palavras da mesma categoria morfossintática cujos significados se opõem por um sema ou traço semântico. Por exemplo, entrar/ sair partilham entre si do sema "movimento, deslocação", mas opõe-se entre si na medida em que entrar implica o traço de "para dentro" enquanto que sair implica o traço de "para fora". Ao nível morfológico, a antonímia pode exprimir-se através de:

1) Palavras com radicais diferentes: bom/ mau; grande/ pequeno; alto/ baixo; subir/ descer, etc;
2) Palavras com o mesmo radical, cuja oposição é criada por um prefixo de negação: completo/ incompleto; ocupado/ desocupado; feliz/ infeliz; normal/ anormal, etc;
3) Palavras com o mesmo radical cuja oposição é criada através de prefixos de significados contrários: incluir/ excluir; emigrar/ imigrar; progredir/ regredir, etc.

Consideram-se os seguintes tipos de antonímia:
Antonímia Complementar (a TLEBS nomeia-a de Contraditória): a afirmação de um dos termos implica a negação do outro termo e vice-versa. As proposições construídas com estes lexemas não podem ser ambas verdadeiras, porque a verdade de uma exclui a possibilidade da outra. Seguem-se exemplos de lexemas em antonímia complementar:

i) O cabrito está vivo. / O cabrito está morto.
ii) Este número é par. / Este número é ímpar.
iii) A Susana é solteira. / A Susana é casada.
iv) Ele sabe onde moras. / Ele ignora onde moras.

Antonímia Graduável (a TLEBS nomeia-a de Contrária): relação de oposição gradual entre lexemas, que podem ser combinados com quantificadores pouco, um pouco, muito, de algum modo, etc.. A oposição estabelece-se através de uma escala de valores situada entre dois polos opostos:

i) O trabalho está ótimo (muito bom/ razoável) / péssimo (mau / medíocre / suficiente).
ii) O chá está gelado (muito frio / frio / pouco frio) / a ferver (muito quente / quente/ morno).
iii) A Maria é linda (muito bonita/ bonitinha) / um susto (feiíssima / horrível /feia).

Antonímia Conversa (a TLEBS atribui-lhe o mesmo nome): relação construída a partir de dois pontos de vista diferentes. Trata-se de uma relação de reciprocidade entre lexemas de conteúdo semelhante, mas que apresentam pontos de vista opostos, formando proposições semanticamente equivalentes:

i) O Marco é marido da Marta. / A Marta é esposa do Marco.
ii) O Sr. Rocha é pai da Sofia. / A Sofia é filha do Sr. Rocha.
iii) O Manuel vendeu o carro à Ana. / A Ana comprou o carro ao Manuel.
iv) O Dr. Falcão é médico da Dona Conceição. / A Dona Conceição é paciente do Dr. Falcão.

A TLEBS especifica que a antonímia conversa é predominante nos domínios das relações de parentesco (mãe/pai), das relações sociais (credor/devedor) e das relações temporais e espaciais (em cima/em baixo). A relação de oposição das antonímias conversas acontece ao nível da frase, pois invertendo a ordem sintática dos constituintes é necessário empregar um antónimo que mantenha a mesma relação de sentido.

Utiliza-se a designação de antonímia binária quando a relação de antonímia é estabelecida apenas entre duas palavras, e antonímia não binária, quando a relação de antonímia põe em relação mais que duas palavras, um sistema seriado. Os exemplos i), ii) e iii) são exemplos de antonímia complementar binária. Os exemplos v) e vi) são exemplos de antonímia graduável não binária. A antonímia ocorre ao nível dos adjetivos, dos nomes e dos verbos.

1

2

3

4

5