Artigos de apoio

Ballet Gulbenkian

Criado em 1965, tinha por nome Grupo Gulbenkian de Ballet e só posteriormente adquiriu o nome de Ballet Gulbenkian. O primeiro diretor artístico foi o coreógrafo britânico Walter Core, que exerceu o cargo durante quatro anos. Numa fase inicial, a companhia representava bailados do repertório tradicional. De 1970 a 1975 a direção artística passou a ser exercida por Milko Sparemblek, um coreógrafo croata, que apostou mais em bailados modernos, embora não pusesse de lado os bailados clássicos. Mais tarde, já sob a direção de Jorge Salavisa, professor e bailarino português, o Ballet Gulbenkian voltou-se mais para o bailado contemporâneo, incidindo a sua escolha em autores, compositores e artistas portugueses. De 1996 a julho de 2003, a direção artística foi da responsabilidade de Iracity Cardoso, uma professora brasileira, que manteve as diretivas anteriores acrescentando, no entanto, linguagens coreográficas inovadoras. Em 2003 a direção artística passou a estar a cargo do coreógrafo Paulo Ribeiro.
O Ballet Gulbenkian fez mais de 1100 espetáculos desde que iniciaram funções, quer na Fundação Gulbenkian quer no estrangeiro. Destacam-se, de entre os inúmeros coreógrafos que contribuíram para o bom desenvolvimento e desempenho da companhia, os portugueses Carlos Trincheiras, Vasco Wellenkamp e Olga Roriz, Rui Horta e Paulo Ribeiro.A 5 de julho de 2005 o Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian anunciou a extinção da companhia de ballet, decisão que gerou polémica e uma onda de protestos.

1

2

3

4

5