Artigos de apoio

comunicação unilateral/comunicação bilateral

Toda a comunicação pressupõe transmissão, informação e conhecimento de algo, através de um código. A significação constitui um dos elementos essenciais à comunicação. Uma mensagem só terá sentido, se tiver em conta as regras da semântica. Na análise semântica, o campo de estudo é o vínculo do signo com a realidade que exprime. Sob o aspeto semântico, as palavras (signos linguísticos) são consideradas na sua dimensão de referência à realidade, buscando-se o sentido ou o significado que nessa relação possuem.

A comunicação pode ser unilateral ou bilateral.
A comunicação unilateral só exige a atuação de um emissor, enquanto o recetor é passivo. Estão neste caso os locutores dos "mass media" como a rádio e a televisão, o cartaz de parede com as suas mensagens publicitárias e de propaganda, ou aquele que pronuncia uma palestra ou um discurso. A comunicação unilateral à distância, frequentemente, é estabelecida de um emissor para vários recetores, denominando-se, por isso, difusão. É o que sucede com a rádio, a televisão, o cinema e a imprensa escrita.

A comunicação bilateral exige reciprocidade entre o emissor e o recetor, que se veem na necessidade de alternarem os papéis. É o que sucede em todas as conversas, nos diálogos, nas entrevistas e em muitas outras situações. Aqui, os locutores veem-se obrigados a construir ou a alterar a sua mensagem de acordo com os dados que se definem na situação comunicativa. A comunicação bilateral permite que se estabeleça uma troca de papéis entre emissor e recetor. Chama-se intercâmbio à troca de mensagens daí resultante.

1

2

3

4

5