Artigos de apoio

copépodes

A sub-classe dos copépodes é constituída por 7500 espécies e é um importante grupo de crustáceos amplamente distribuído por águas doces e salgadas. São excecionalmente abundantes e como indivíduos constituem, talvez, o grupo mais importante do plâncton oceânico. Sobre o ponto de vista ecológico, devem ser os crustáceos mais importantes atendendo a que são os principais herbívoros que se alimentam do fitoplancton, constituindo assim a base de muitas cadeias alimentares marinhas.
Em muitas zonas marítimas, os copépodes do género Calanus são os organismos mais numerosos do zooplancton e constituem a maior proporção da biomassa.
Os copépodes são animais pequenos (geralmente com alguns milímetros de comprimento) e possuem um corpo constituído pela cabeça e por dez segmentos do tronco. Não possuem olhos compostos, mas possuem um olho simples em posição média. As primeiras antenas são compridas e distintas.
Uma grande quantidade de copépodes são formas parasitas, a maioria dos quais são ectoparasitas de peixes, mas também se podem encontrar sobre ou no interior de alguns vertebrados. As formas parasitas estão muitas vezes modificadas, pelo que só são identificadas por copépodes pelas suas fases larvares. São seres vivos dioicos e o seu desenvolvimento é indireto. Os ovos originam uma larva que passa por uma série de fases larvares antes de atingir a forma adulta.

1

2

3

4

5