Artigos de apoio

cor (simbologia)

A simbologia da cor como suporte do pensamento simbólico na criação dos conceitos e na associação dos elementos é muito antiga e universal, embora as diferentes cores tenham simbologias diversas consoante as culturas. As principais cores simbolizam o todo e o universo.
A cor é, antes de tudo, uma manifestação de luz ou da maior ou menor ausência dela. As sete cores do arco-íris estão associadas às sete notas musicais, aos sete dias da semana e aos sete planetas conhecidos na Antiguidade. Os signos do Zodíaco estão sempre associados a uma determinada cor consoante a sua natureza. O mesmo acontece com os elementos: o fogo com o vermelho e laranja, o ar com o branco e o amarelo, a água com o verde e a terra com o preto e o castanho. Para simbolizar o espaço vertical são utilizados tons de azul e o espaço horizontal o vermelho. As cores também simbolizam oposição e dualidade, como é o caso do preto e do branco. A separação das cores a partir da luz branca é um fenómeno que foi reconhecido entre os índios da América desde tempos remotos. A partir do sol, o branco era a aurora, o azul a manhã, o amarelo o pôr do Sol e o preto a noite. Certas tribos de índios atribuem ainda cores à alma e ao espírito e também aos quatro pontos cardeais. Os Astecas utilizavam a mesma palavra para designar o verde e o azul e as pedras destas cores tinham também o seu significado simbólico. As turquesas eram associadas ao sol e ao fogo e as cores azul-esverdeadas de certas pedras e da serpente emplumada eram associadas à Lua e à fertilidade.
Para os antigos Egípcios, o preto era a cor da imortalidade, o verde era a cor da natureza e da saúde, o azul era a cor do ar, o amarelo do sol e do ouro, o branco da positividade e da alegria, o vermelho da maldade e da violência. Em África, as cores revestem um valor mágico e são formas de exercer poder ou de defender de perigos e doenças. O branco afasta a morte, o vermelho é a cor da vida e o preto é a cor do mistério e do oculto. As tradições muçulmanas consideram o preto negativo e usam-no como proteção contra o mau-olhado, o branco e o verde são cores positivas e de sorte e o amarelo é mágico e protetor. Enquanto que o islão oriental considera o preto a cor do luto os muçulmanos do Al-Andaluz, na Península Ibérica, consideravam o branco como a cor do luto. Na tradição cristã está muito presente a luz como uma manifestação divina e ela quebra a austeridade da pedra através de muitos magníficos vitrais das catedrais. Na simbologia cristã, o branco está associado ao Pai, à fé, à castidade e à pureza, o azul ao Filho e o vermelho ao Espírito Santo, ao amor e à caridade, o preto à penitência e o verde à esperança. As cores podem ser frias e pacíficas como o azul e o violeta ou quentes e estimulantes como o vermelho e o laranja. Segundo a psicologia analítica de Carl Jung, o verde é a cor da natureza e do crescimento, o azul é a cor espiritual e do pensamento, o vermelho é a cor do sangue e do sentimento e o amarelo é a cor do ouro e da intuição.

Como referenciar: in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-20 17:55:09]. Disponível na Internet: