Artigos de apoio

D. Joana de Castro

Condessa de Vimioso, D. Joana de Castro Mendonça, nascida cerca de 1560, filha de D. Fernando de Castro, 1.º conde de Basto (n. 1530) e de Filipa de Mendonça (n. 1530), casou com D. Luís de Portugal, 4.º conde de Vimioso (1555-1637), neto de D. Francisco de Portugal, 1.º conde de Vimioso.
O título de Conde de Vimioso fora criado por D. Manuel I, rei de Portugal, em 1515, a favor de D. Francisco de Portugal (nascido c. 1485).
D. Joana de Castro Mendonça, fundadora do Convento do Sacramento, em Lisboa, separou-se de seu marido D. Luís de Portugal e ingressaram os dois na vida religiosa (ela, no convento do Sacramento, do qual foi prioresa; ele, no convento de S. Paulo, em Almada).

Na peça Frei Luís de Sousa, de Almeida Garrett, quando Manuel de Sousa Coutinho diz que vai a Lisboa ao Sacramento, ao "convento novo de freiras abaixo de S. Vicente", porque precisa de "falar com a abadessa" (Ato II, Cena IV), Maria manifesta o desejo de acompanhar seu pai, pois quer visitar a sua tia Joana de Castro e afirma "Quero ver aquele rosto... De mim não se há de tapar...".
A referência à separação ocorrida no casamento de D. Joana de Castro e D. Luís de Portugal e a opção pela vida religiosa pode assumir um valor de indício trágico que prepara o leitor/espectador para os acontecimentos finais: separação do casal D. Madalena / Manuel Sousa Coutinho e ingresso na vida religiosa.

1

2

3

4

5