Artigos de apoio

deslocamento e condensação

Freud salientou que os sonhos seriam, essencialmente, a tentativa de realização de um desejo reprimido que se alojava no inconsciente, sendo que esse desejo seria primordialmente de natureza sexual ou encerraria aspetos proibidos pelo contexto moral. Para Freud, o sonho é produzido por dois elementos centrais, os quais são trabalhados pela psicanálise na análise do significado dos sonhos: a condensação e o deslocamento. A condensação é o resumo das ideias que têm pontos em comum e uma analogia entre si. Funde elementos que estão a um nível latente com traços comuns num só. Estabelece uma relação entre o conteúdo manifesto e o latente. Ao nível do conteúdo latente, onde existem ideais e ao nível do manifesto, onde existem imagens. O deslocamento é a obra da censura, onde um elemento do sonho a nível latente é substituído por um dos seus fragmentos constituintes. Há uma transferência da importância que tem uma ideia para outra completamente diferente e afastada dela.
O desejo inconsciente não pode vir à consciência por causa das normas sociais, da cultura e das próprias limitações do sujeito, ainda construídas na infância na relação com os pais. Se o inconsciente busca o prazer a todo custo, há o outro lado da moeda: a censura que impede a sua realização. Daí estes desejos surgirem como lampejos nos sonhos, que se disfarçam de certos mecanismos para realizar essa função desejante. Freud criou a teoria sobre o trabalho do sonho (distorção no sonho para proteger o sujeito do carácter ameaçador dos seus desejos), em que fala dos mecanismos da condensação e do deslocamento.
A condensação é como juntar no sonho parte das vivências do quotidiano com outras censuradas, provocando confusão. ''O mecanismo de condensação é marcado pelo conteúdo do sonho de forma abreviada. O conteúdo manifesto (lembrado) é sempre menor que o latente isso porque a condensação opera de três formas, omitindo determinados elementos dos pensamentos latentes (ocultos, inconscientes); permite que apenas um fragmento do conteúdo latente (oculto) apareça no sonho manifesto; e por último, combina vários elementos do conteúdo latente num único elemento do conteúdo manifesto. Já o mecanismo do deslocamento pode operar mudando a ênfase de um elemento relevante, que diz respeito ao desejo inconsciente, para outro sem importância como uma forma de disfarçar. Além destes mecanismos mascararem o sonho, ainda se passam de forma cruzada, formando às vezes sonhos como espécies de quadros desconexos, o que dificulta a sua interpretação.

Como referenciar: in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-22 03:28:32]. Disponível na Internet: