Artigos de apoio

divergência (biologia)

O termo divergência descreve um padrão evolutivo em que a adaptação a diferentes tipos de ambientes resulta no aumento de diferenças morfológicas entre os seres vivos com um ancestral comum. A divergência é também designada por radiação adaptativa ou adaptação cladogénica.
Por exemplo, as baleias e os elefantes são mamíferos que descendem de um ancestral comum. A sua evolução divergiu pelo facto de ter existido uma seleção natural na água para um e em terra para outro.
Um exemplo clássico de divergência evolutiva é dada pelos tentilhões das Ilhas Galápagos, em que se constituiram 14 espécies a partir de uma única espécie ancestral que invadiu arquipélago.
Um caso mais geral de divergência é o que abarca toda a classe das Aves. A partir da divergência de uma classe de répteis durante o Mesozoico, as aves iniciaram uma divergência que foi seguida por sucessivas divergências (radiações adaptativas) durante o Paleocénico e o Eocénico. Estas numerosas radiações manifestam-se por avanços estruturais e funcionais. Por exemplo, a capacidade de voar permitiu que as aves escapassem aos predadores e pudessem migrar, procurando regiões com climas favoráveis e explorando diferentes fontes de alimentos.
A divergência evolutiva explica as notáveis homologias encontradas no mundo vivo.
Exemplos clássicos de estruturas homólogas são o esqueleto dos membros dos humanos, cães, baleias e aves.
Como referenciar: in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-18 22:23:00]. Disponível na Internet: