Artigos de apoio

funções da linguagem

Conjunto de objetivos realizados pelos enunciados. A mais conhecida divisão das funções da linguagem foi formulada por Roman Jakobson. Cada função corresponde a um elemento do esquema da comunicação do mesmo autor.


Contexto
Comunicado
Destinador _____________________ Destinatário

Contacto
Código


A função dominante dentro dos processos da comunicação é a função referencial, baseada no contexto. Possibilita a transmissão de informações relevantes para os participantes do ato de comunicação. Realiza-se, principalmente, através da operação de denotação.

A função fática, baseada no contacto, serve para estabelecer ou manter laços entre o recetor e o emissor. Pode realizar-se através de fórmulas de cumprimento ou conversas tematicamente irrelevantes.

A função emotiva (também chamada expressiva) baseia-se no destinador e tem como objetivo apresentar a sua atitude ou estado emocional. As interjeições são um elemento puramente emotivo na linguagem.

A função conativa, orientada ao destinatário, serve para expressar enunciados persuasivos como a sugestão ou a ordem. Tem a sua realização mais genuína nas formas de vocativo ou de imperativo.

A função poética, baseada no comunicado em si, pretende criar uma realidade nova através dos valores estéticos do signo linguístico. Além da literatura, é muito visível nos slogans políticos ou publicitários.

A função metalinguística serve como suporte para o próprio código. Possibilita a reflexividade, quer dizer, aporta informação ou tece comentários sobre o código em si. Toda a terminologia gramatical tem como objetivo permitir a comunicação metalinguística.

Geralmente, as funções da linguagem interatuam de forma muito complexa. Em cada enunciado, além de uma função dominante, podem-se distinguir outras funções secundárias. A tipologia proposta por Roman Jakobson não se limita ao estudo da linguagem e é igualmente operativa para a análise de outras formas de comunicação, por exemplo, os enunciados icónicos.


1

2

3

4

5