Artigos de apoio

Harry Stack Sullivan

Psiquiatra norte-americano nascido a 21 de fevereiro de 1892, em Norwich, no estado de Nova Iorque, e falecido a 14 de janeiro de 1949, em Paris, na França.
Filho de emigrantes irlandeses, Sullivan formou-se em Medicina pela Universidade de Chicago, em 1917, e integrou o corpo médico do Exército dos Estados Unidos, na Primeira Guerra Mundial. Terminada a Guerra, foi trabalhar com veteranos de guerra que sofriam de traumas psicológicos, para o Hospital St. Elizabeth, em Washington. Durante esse período, obteve influência do psiquiatra William Alanson White que defendia as teorias de Sigmund Freud. Em 1923, mudou-se para o Hospital Sheppard e Enoch Pratt, em Baltimore, onde permaneceu até à sua morte. Em 1939, colaborou na elaboração de critérios psiquiátricos para o Sistema Seletivo de Serviço e, em 1948, participou num estudo da UNESCO sobre as tensões que provocam guerras. Sullivan foi cofundador do Instituto William Alanson White, responsável pela Washington School of Psychiatry, entre 1936 e 1947, e fundador do jornal Psychiatry, que surgiu em 1937.
No seu trabalho de investigação, a sociologia e a psicologia foram as duas grandes ciências humanas estudadas por Harry Sullivan. O psicólogo considerava que os seres sociais se formam naturalmente pelas suas relações, o que o levou a desenvolver a teoria das relações interpessoais. Apesar de ter influência da psicanálise de Freud, Sullivan acreditava que a teoria do neurologista austríaco falhava ao não reconhecer a humanidade do doente e, por isso, recusou a sua aplicação na psiquiatria. Harry Sullivan criticou também o pensamento do psiquiatra Emil Kraepelin que valorizava a classificação de perturbações mentais como diagnóstico da doença. Sullivan considerava que a psiquiatria descritiva não era capaz nem de conhecer o desenvolvimento da doença mental, nem de tratar os doentes como seres sociais. No seu entender, a ansiedade e outros sintomas psiquiátricos resultavam principalmente de conflitos entre o indivíduo e o seu ambiente, e o desenvolvimento da personalidade só poderia acontecer a partir de uma série de interações com outros indivíduos, o que o inspirou a desenvolver, então, a sua psiquiatria terapêutica interpessoal. O psiquiatra norte-americano considerava que os modos cognitivos de desenvolvimento de experiências eram importantes para o desenvolvimento social do indivíduo, tendo identificado três modos cognitivos: prototáxico, paratáxico e sintático.
Sullivan publicou vários artigos e livros, tais como Conceptions of Modern Psychiatry (1947), Interpersonal Theory of Psychiatry (1953), Schizophrenia as a Human Process (1962), The Fusion of Psychiatry and Social Science (1964), entre outros.
Harry Stack Sullivan faleceu em Paris, após ter regressado do encontro da Federação Mundial para a Saúde Mental, que tinha decorrido em Amesterdão.

1

2

3

4

5