Artigos de apoio

intestino (anatomia)

Os intestinos formam o órgão de maior comprimento do corpo humano. Pertencentes ao sistema digestivo, anatomicamente eles são decomponíveis em duas zonas que, embora contíguas, apresentam funções distintas: o intestino delgado e o intestino grosso.
O intestino delgado situa-se entre o estômago e o intestino grosso, desempenhando funções digestivas, de absorção de nutrientes e de condução de material não digerido para o intestino grosso. A sua porção inicial é denominada de duodeno, sendo este o local que recebe o quimo, proveniente do estômago e onde o canal colédoco liberta o seu conteúdo - suco pancreático e bílis -, importante na simplificação molecular dos alimentos. Ao duodeno segue-se o jejuno-íleo, onde continuam os processos de absorção e de digestão química e mecânica dos alimentos.
A parede interna do intestino delgado apresenta um aspeto ondulado, com várias pregas, denominadas de válvulas coniventes. Cada uma destas válvulas apresenta-se recoberta por inúmeras projeções em forma de dedos de luva, as vilosidades intestinais, as quais permitem aumentar enormemente a superfície total do intestino delgado (cerca de 300 m2), facilitando e acelerando a absorção dos nutrientes. No interior de cada vilosidade, existe um vaso linfático - o vaso quilífero - e vasos capilares sanguíneos, para o interior dos quais são absorvidos os nutrientes.
Por ação do suco intestinal, o quimo é transformado em quilo, completando-se a digestão química por ação das enzimas nele contidas.
O intestino grosso situa-se entre o intestino delgado e o ânus, tendo um diâmetro médio superior à porção anterior do intestino. As suas funções estão relacionadas com a absorção de água e sais minerais, bem como com a preparação e armazenamento das fezes antes da defecação. O intestino grosso inicia-se pelo cego - zona de ligação à porção delgada -, onde se situa o apêndice, seguindo-se o cólon (porção ascendente, transversa e descendente), que termina no reto, abrindo este no exterior através do ânus.
A flora intestinal, formada por bactérias que vivem, normalmente, em simbiose com o organismo, é de grande importância para o Homem, já que sintetiza algumas vitaminas essenciais, como a K e algumas do complexo B.

1

2

3

4

5