Artigos de apoio

jazigos minerais

Um jazigo mineral é um agregado de substâncias de origem mineral que se encontra na crosta terrestre e que é suscetível de exploração económica. Do ponto de vista geoquímico, um jazigo mineral pode ser considerado como uma concentração anormalmente elevada de um determinado elemento químico, produzida por diferentes processos geológicos.
Do ponto de vista químico, a crosta terrestre é constituída fundamentalmente por nove elementos: oxigénio, silício, alumínio, ferro, cálcio, sódio, potássio, magnésio e hidrogénio. Os restantes elementos químicos dispersam-se em muito pequena quantidade, sendo na sua maior parte contidos nas redes de outros minerais. Contudo, ao longo da evolução geológica de uma determinada região podem ocorrer condições que permitam a concentração, nessa zona, de um determinado elemento, que normalmente se encontra disperso. Assim se constitui um jazigo mineral. A concentração média de um elemento na crosta terrestre denomina-se clarke e, geralmente, expressa-se em partes por milhão. O conteúdo médio de um jazigo mineral denomina-se lei média. Sob o ponto de vista geoquímico, um jazigo mineral é explorável quando a lei média é superior à chamada lei mínima, que é o conteúdo mínimo abaixo do qual o jazigo deixa de ser economicamente rentável.
Para caracterizar um jazigo mineral, devemos considerar propriedades como a composição mineralógica, a composição química, o volume ou massa, e a textura.
A composição minerológica é um dado essencial na caracterização de qualquer jazigo mineral. Nesta composição distinguem-se sempre os denominados minerais de mina, que são os que possuem interesse económico, e os minerais de ganga, que acompanham os anteriores mas não têm interesse económico. A mistura de minerais de mina e de ganga é o que representa a textura e tem interesse por influir decisivamente na facilidade de separar a ganga da mina. A composição química vem refletida na lei média, enquanto o volume ou massa leva a estabelecer os conceitos de reservas, que são as massas de mineral existentes num jazigo economicamente explorável nas condições atuais de tecnologia e mercado, e de recursos, que são as massas de mineral que não são exploráveis nas condições tecnológicas e económicas atuais mas podem vir a sê-lo se estas evoluírem favoravelmente. Também se consideram recursos as zonas de um jazigo não conhecidas mas em que existem indícios razoáveis para admitir que serão suscetíveis de exploração.
As características e composição dos jazigos minerais são condicionadas pelo processo que levou à concentração do mineral.

1

2

3

4

5