Artigos de apoio

Jean Paul Gaultier

Estilista francês nascido em 1952, em Arcueil, um subúrbio de Paris. Na sua adolescência faltava a muitas aulas para ir desenhar roupas ou para aprender com a avó a fazer maquilhagem e arranjos de cabelo. Aos 18 anos, começou a carreira no mundo da moda como desenhador assistente da tradicional casa Pierre Cardin. Pelo meio colaborou com Jacques Esterel e Jean Patou.
Apesar destes antecedentes convencionais, quando, em 1976, se lançou com a sua própria marca, o estilo irreverente de Gaultier baseava-se mais no movimento punk londrino da época do que nas tendências da moda parisiense. No mesmo ano, fez a primeira mostra do seu trabalho no Palácio da Descoberta, em Paris, onde apresentou roupa inspirada em esteiras de palha.
Conhecido pelos seus shows exóticos, foram precisos vários anos para que Gaultier fosse bem aceite no meio parisiense. Como o costureiro, na altura não obteve apoio financeiro por parte dos investidores franceses e acabou por ser o grupo japonês Kashiyama a apoiá-lo no lançamento da sua primeira coleção temática. Assim, para o outono/inverno 79/80, Gaultier lançou a coleção James Bond. As suas criações desafiam o convencional, como aconteceu quando, em 1988, apresentou propostas de saias para homem, ou quando, em 1990, desenhou, para a cantora norte-americana Madonna usar na sua digressão mundial, um espartilho que mais parecia uma peça de roupa interior.
O traço de Gaultier é uma paródia ao estilo convencional da moda internacional, mas, ao mesmo tempo, consegue redefinir as tendências tradicionais, introduzindo novos conceitos. As suas extravagâncias tornaram-no mais famoso do que muitos dos estilistas contemporâneos e valeram-lhe alguns convites para atividades exteriores ao mundo da moda, como um que o levou a apresentar um programa televisivo inglês chamado "Eurotrash".
Gaultier criou ainda uma linha de perfumes, ao que diz inspirados nas fragrâncias utilizadas pela avó, onde os frascos têm forma de homens e mulheres, alguns dos quais feitos em lata, o que foi outra inovação. O próprio Gaultier aparece em muitos dos anúncios de televisão dos perfumes.
O estilista participou ainda na elaboração do guarda-roupa de alguns filmes, como aconteceu, em 1989, na obra do galês Peter Greenway, O Cozinheiro, o Ladrão, a Mulher e o Amante, e, em 1997, na história de ficção científica O Quinto Elemento, do realizador francês Luc Besson, com a participação de Bruce Willis e da modelo e atriz Mila Jovovitch.
Em 1996, Gaultier lançou a sua primeira coleção de alta-costura que conheceu um enorme êxito, tendo sido classificada como uma lufada de ar fresco na já algo estagnada moda parisiense. Curiosamente, em simultâneo, começava a notar-se uma acalmia nas criações do até aí irreverente Gaultier, que ganhou o título de "enfant terrible" da moda francesa.
Como referenciar: in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-22 16:17:53]. Disponível na Internet: