Artigos de apoio

Níger

Geografia
País da África Ocidental. Abrangendo parte do Sul do deserto do Sara e da faixa do Sahel, o país deve o nome ao rio Níger, que o atravessa no Sudoeste. Faz fronteira com a Argélia, a norte, a Líbia, a nordeste, o Chade, a leste, a Nigéria e o Benim, a sul, o Burkina Faso, a sudoeste, e o Mali, a oeste. Ocupa uma área de 1 267 000 km2. As principais cidades são Niamey, a capital, com 774 900 habitantes (2004), Zinder (209 100 hab.), Maradi (195 400 hab.), Tahoua (99 900 hab.) e Agadez (29 400 hab.).

Clima
O clima do Níger é desértico no Norte, semidesértico no Centro e tropical seco no Sul. É dos países mais quentes do mundo, com temperaturas extremamente elevadas ao longo de todo o ano.

Economia
O Níger conta com um setor agrícola a caminho da autossuficiência, através de programas de irrigação que compensam os usuais períodos de seca registados ao longo do ano. A produção de milho, sorgo, mandioca, cana-de-açúcar e arroz preenche a atividade agrícola. A criação de gado desempenha, também, um importante papel neste setor.
A atividade industrial tem na exploração e tratamento do urânio (do qual é um grande produtor mundial) o seu ponto forte, complementado pela extração de minérios como a pedra de cal, gesso, cobre e titânio. Há também a considerar as indústrias transformadoras que se dedicam ao tratamento de produtos químicos, produtos alimentares, têxteis e equipamento agrícola.
Por último, saliente-se o facto de o Níger utilizar os portos de Cotonu (Benim) e de Lagos (Nigéria), que se encontram ligados ao Níger, não por caminhos de ferro (inexistente naquele país), mas apenas por estradas. Os principais parceiros comerciais do Níger são a França, a Costa do Marfim, o Reino Unido e a China.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 0,1.

População
O Níger tinha, em 2006, 12 525 094 habitantes, o que correspondia a uma densidade populacional de 9 hab./km2, um valor muito baixo, em parte resultante das condições climáticas que se fazem sentir em todo o território. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 50,73%o e 20,91%o. A esperança média de vida é de 43,76 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,292 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,279 (2001). Estima-se que, em 2025, a população seja de 18 777 000 habitantes. Os principais grupos étnicos são os Hausa (53%), os Zerma-Songhai (21%), os Tuaregues (10%) e os Fulas (10%). Em termos religiosos, os muçulmanos sunitas representam 89% da população, enquanto os seguidores das crenças tradicionais são 11%. A língua oficial é o francês.

História
O Níger encontra as suas raízes nos reinos de Takedda (situado no Oeste do território) e do Bornu (localizado no Leste), estabelecidos no início do segundo milénio d. C. No entanto, estes reinos foram desmantelados no século XV por expedições militares marroquinas, mas seria o povo tuaregue a tirar proveito do caos resultante dessas iniciativas, passando a dominar toda a região.
A colonização francesa começou em 1889 mas, devido à forte resistência demonstrada pelos nativos, só em 1922 a França conseguiu criar condições favoráveis ao estabelecimento de uma administração civil. Quando, em 1946, o Níger recebe o estatuto de território ultramarino francês, são criadas assembleias consultivas e legislativas locais, que favorecem a subida social de membros da etnia songhai-zerma (de formação francófona), que provou ser a mais recetiva a influências europeias. Não admirou, portanto, que o primeiro administrador local, nomeado em 1957, fosse Djibo Bakary, líder daquela etnia.
A independência só foi declarada a 3 de agosto de 1960, depois de um referendo em 1958, cujos resultados ditaram o estabelecimento de um estatuto de autonomia do Níger, embora se mantivesse ligado a França. Hamani Diori, sucessor e primo de Bakary, que liderou o processo de independência, estabeleceu um regime ditatorial que seria substituído por uma outra ditadura, esta de características militares, através de um golpe de Estado ocorrido em 1974. Só em 1993 se realizaram as primeiras eleições multipartidárias, que deram a vitória à Convenção Social-Democrata (uma coligação de nove partidos políticos), liderada por Mahamane Ousmane.
O ano de 1994 trouxe ao país alguma instabilidade social, provocada pela rebelião armada tuaregue no Norte do Níger em virtude da grande dificuldade de este povo nómada se adaptar à criação de fronteiras. Contudo, o governo conseguiu estabelecer canais diplomáticos que tiveram como corolário a assinatura de um acordo de paz a 9 de outubro desse ano, em Ouagadougou, no Burkina Faso, que estabeleceu uma área reservada para 750 000 tuaregues, no Norte do país, dotada de autonomia regional.
Como referenciar: in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-20 23:42:07]. Disponível na Internet: