Artigos de apoio

níveis tróficos

Denomina-se nível trófico cada um dos níveis alimentares através dos quais ocorrem processos que permitem o transporte de energia e matéria num ecossistema.Verificar a transferência de alimentos (matéria e energia) através dos organismos de um ecossistema é relativamente simples se se seguir um único caminho alimentar.Basta contar cada quantidade de folhas que uma lagarta come, a quantidade de fitoplâncton comido por um copépode, ou quantos animais um falcão come numa pradaria.
A energia e nutrientes são transferidos passo a passo entre os organismos. Por exemplo, numa comunidade um falcão come uma cobra que come uma rã que come uma borboleta que se alimentou do néctar de uma flor de uma planta que converteu a energia solar em energia química durante a fotossíntese. Esta cadeia alimentar linear tem a mesma organização de todos os ecossistemas. Começa com um produtor primário (a planta) que fornece alimento ao consumidor primário (a borboleta) que é comido por um consumidor secundário (a rã) que é comido por um consumidor terciário (a cobra) e assim sucessivamente, até ao consumidor final que, quando morre, é desmontado pelos decompositores. Cada um destes passos da cadeia alimentar denomina-se nível trófico.
A sequência dos níveis tróficos de matéria e energia verifica-se entre grupos funcionais de organismos (produtores primários, consumidores primários, consumidores secundários, etc.). Os níveis tróficos são numerados consecutivamente para indicar a ordem em que a energia flui. O nível trófico 1 é sempre constituído pelos produtores primários e o nível trófico 2 é sempre constituído pelos consumidores primários. O nível de consumidores inicia-se no consumidor primário e são então numerados sequencialmente (quem come quem?). O carnívoro final, denominado consumidor final ou carnívoro de nível mais elevado, e todos os organismos que escapam a ser comidos (tal como os humanos) eventualmente morrem e são desmantelados pelos decompositores.

1

2

3

4

5