Artigos de apoio

Quénia

Geografia
País da África Oriental. Situado a sul do chamado Corno de África, é banhado pelo oceano Índico, a sudeste, e faz fronteira com a Etiópia, a norte, a Somália, a leste, a Tanzânia, a sul, o Uganda, a oeste, e o Sudão, a noroeste. Abrange uma área de 582 650 km2. As principais cidades são Nairobi, a capital, com 2 504 400 habitantes (2004), Mombaça (777 100 hab.), Nakuru (256 300 hab.), Kisumu (227 100 hab.) e Machakos (33 800 hab.).
Na metade ocidental do Quénia existem vários lagos de elevada altitude, cuja formação está relacionada com a atividade tectónica da região.
Sob o ponto de vista do relevo, destaca-se a região sudoeste, de elevados planaltos, no qual se encontram vários montes de origem vulcânica, como o monte Quénia (com uma altitude de 5199 metros). Este planalto prolonga-se para outros países vizinhos, como a Tanzânia, cujo cume vulcânico mais conhecido é o monte Quilimanjaro (o ponto mais alto de África, com 5895 metros), situado na fronteira com o Quénia.

Clima
O clima dominante é tropical. Na costa, apresenta-se com características de tropical húmido, ao passo que no Norte é nitidamente tropical seco. As regiões mais elevadas apresentam um clima tropical de altitude, em que as temperaturas são bastante mais moderadas.

Economia
O Quénia não é um país rico em minerais. A base da economia é a agricultura, apesar de só 4% da terra ser arável. O chá é o principal produto de exportação, tendo a área cultivada aumentado bastante entre 1991 e 1995. Embora com uma produção muito inferior à do chá, o café surge imediatamente a seguir. Contudo, é o turismo a principal fonte de divisas do país. Foram criados vários parques naturais, cujas receitas têm vindo a aumentar e a ser partilhadas com a população local que, deste modo, colabora na manutenção deste recurso. A caça furtiva é um dos problemas a resolver dentro dos parques naturais cuja grande atração turística consiste na realização de safaris para observar e fotografar leões, leopardos, elefantes, búfalos, gazelas, crocodilos, cães selvagens e muitas outras espécies. A maior unidade fabril do país é a refinaria de petróleo em Mombaça, o porto mais importante da África Oriental. Os principais parceiros comerciais do Quénia são o Reino Unido, a Alemanha, os Emirados Árabes Unidos e o Japão.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 0,3.

População
A população é de 34 707 817 habitantes (2006), o que corresponde a uma densidade populacional de 58,06 hab./km2. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 39,72%o e 14,02%o. A esperança média de vida é de 48,93 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,489 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,488 (2001).
Há mais de 30 grupos étnicos que se distinguem entre si pela língua e pela cultura. As tensões tribais desde sempre ameaçaram provocar divisões profundas no seio do país. Os grupos mais numerosos são os Kikuyu (18%), os Luhya (12%), os Luo (11%), os Kalenjin (10%) e os Kamba (10%). As religiões mais representativas são o catolicismo (27%), o protestantismo (19%) e as crenças tradicionais (19%). São falados dialetos pertencentes a vários grupos de línguas, mas o swahili e o inglês são as línguas oficiais.

História
Este país africano é inteiramente uma criação colonial, primeiro sob o controlo da Companhia da África Oriental Inglesa e depois, a partir de 1895, sob a forma de protetorado britânico. Em 1920, o território tornou-se colónia inglesa e, em 1963, tornou-se independente na sequência da ação de um movimento nacionalista que protagonizou a primeira luta armada africana pela independência.
Como referenciar: in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-23 00:08:09]. Disponível na Internet: