Artigos de apoio

reação de síntese

As reações químicas podem ser classificadas quanto à natureza da reação. Assim, estas podem ser de síntese ou de decomposição. As reações de síntese são aquelas em que duas substâncias se combinam, dando origem a novas substâncias, isto é, em que ocorre um fenómeno no qual há quebra de ligações químicas nos reagentes e formação de outras ligações, dando origem a novas espécies.
Foi a partir de 1828, data em que o químico alemão Friedrich Wholer (1800-1882) obteve uma substância orgânica, a ureia, que se deu o grande desenvolvimento das reações de síntese, produzindo-se, a partir daí, milhões de novos compostos que visam satisfazer as mais variadas necessidades da sociedade atual. Deste modo, as sínteses têm como objetivos principais a obtenção de novos produtos com propriedades mais acentuadas do que as existentes naturalmente, a obtenção de compostos com propriedades que não se encontram nos produtos naturais e obter quantidades muito superiores àquelas que é possível extrair de fontes naturais.
As reações de síntese podem classificar-se como de síntese total ou de síntese parcial:
. a síntese é total quando todos os reagentes são substâncias elementares; por exemplo, a síntese da água: 2 H2 (g) + O2 (g) → 2 H2O (g);
. se os reagentes são substâncias elementares e compostas, ou só compostas, a síntese é parcial; é o que acontece, por exemplo, na síntese do hidróxido de cálcio:
CaO(s) + H2O (l) → Ca(HO)2 (aq).
Como referenciar: in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-21 00:25:12]. Disponível na Internet: