Artigos de apoio

escala de pH

A escala de pH, em que p significa potencial e H hidrogénio, consiste numa escala algoritmica para exprimir a acidez ou alcalinidade de uma solução.
O conceito foi introduzido pela primeira em 1909 pelo bioquímico dinamarquês Soren Peter Lauritz Sorensen (1868-1939).
Numa primeira aproximação, o pH de uma solução pode ser definido como o logarítmo decimal negativo da concentração de iões H+ (-log10 H+ ) em que a concentração vem expressa em moles por decímetro cúbico.
Isto significa que uma solução neutra a 25 ºC apresenta uma concentração em iões hidrogénio de 10-7 mol/dm3, pelo que o pH é 7. Um pH inferior a 7 indica uma solução ácida e um pH superior a 7 indica uma solução alcalina ou básica.
Mais precisamente, o pH depende não da concentração em iões hidrogénio, mas sim da sua atividade, que não pode ser medida experimentalmente.
Para fins práticos, a escala de pH é definida usando um elétrodo de hidrogénio na solução como metade de uma pilha, com um elétrodo de referência (geralmente um elétrodo de calomelanos) como a outra meia pilha. O pH é então dado pela seguinte expressão: (E-ER)F/2,303RT, onde E a força eletromotriz da pilha e ER o potencial elétrodo padrão do elétrodo de referência e F a constante de Faraday.
O pH pode ser medido de forma aproximada com o auxílio de indicadores, que experimentam viragens de cores a determinados valores de pH.


1

2

3

4

5