Artigos de apoio

gastrópodes

Entre os moluscos, a classe dos gastrópodes é a maior e mais diversificada, contendo cerca de 45 000 espécies vivas e 15 000 espécies fósseis. Encontram-se distribuídos por todos os habitats principais: terrestres e aquáticos, mas os mais abundantes são os marinhos. Embora a maioria dos gastrópodes sejam animais de movimentos lentos que se arrastam sobre o solo, ou o escavam, a radiação adaptativa também permitiu o aparecimento de espécies nadadoras. São gastrópodes os caracóis, as lesmas, os búzios, as lapas, os caramujos, as litorinas, etc.
A diferenciação da estrutura e da forma é tão diversa que é difícil indicar uma característica que defina a classe. A única característica que pode definir a classe e que ocorre em todos os gastrópodes vivos é a da torção. O processo de torção ocorre na vida larvar quando um músculo simétrico arrasta toda a massa visceral 180º, no sentido contrário ao dos ponteiros de um relógio, em relação com a cabeça e o pé, fazendo com que a cavidade do manto, que se encontrava na parte posterior, rode e se situe exatamente atrás da cabeça.
A concha, quando existe, é sempre constituída por uma única peça, univalve, e pode ser enrolada ou não.
O tamanho dos gastrópodes varia entre formas microscópicas e formas marinhas gigantes como Pleuroploca gigantea, um caracol com uma concha com mais de 60 centímetros de comprimento, e espécies do género Aplysia que chegam a ultrapassar um metro de comprimento. A maior parte deles, contudo, têm um comprimento compreendido entre 1 e 8 centímetros. Alguns gastrópodes fósseis atingiram os dois metros de comprimento.
Nos mares os gastrópodes são frequentes nas zonas litorais e zonas profundas e alguns são plágicos. Alguns são adaptados a viver em águas salobras e outros em água doce.
A vida dos gastrópodes na terra firme é condicionada por vários fatores tais como o conteúdo mineral do solo, as variações de temperatura, falta de humidade e acidez.
A maioria dos gastrópodes são dioicos e a maior parte desenvolvem mecanismos de fecundação interna. Com execepção dos caracóis e lesmas terrestres, a maior parte dos gastrópodes originam larvas que nadam livremente no plâncton possibilitando que as formas adultas, normalmente sedentárias, se dispersem e ocupem novos habitats.
Apesar do grande tamanho e diversidade desta classe, só se distinguem três subclasses:
prosobranquiados, com 25 000 ou mais espécies; opistobranquiados, que é um grupo pequeno mas muito variado de gastrópodes na sua maioria marinhos; e pulmonados, que inclui todos os gastrópodes terrestres e a maioria dos de água doce.

1

2

3

4

5