Artigos de apoio

insucesso escolar

O insucesso escolar caracteriza-se pela incapacidade de uma criança corresponder aos objetivos da escola em termos escolares. É a partir dos anos sessenta que encontramos as suas primeiras manifestações, quando se começou a exigir que as escolas, por razões económicas e de igualdade, encontrassem formas de garantir o sucesso escolar de todos os seus alunos. O que era atribuído até então ao foro individual, tornou-se subitamente um problema de cariz social. A preguiça, a falta de capacidade ou interesse deixaram de ser aceites como explicação para o abandono escolar de crianças e jovens. A culpa do seu insucesso escolar passou a ser assumida como um fracasso de toda a comunidade escolar. O sistema não criava fatores que motivassem e encaminhassem os alunos para o êxito escolar.

Manifestações:

- Abandono da escola antes do fim do ensino obrigatório;
- Reprovações sucessivas, que dão lugar a grandes desníveis entre a idade cronológica do aluno e o nível escolar;
- Passagem dos alunos para tipos de ensino menos exigentes, que conduzem a aprendizagens profissionais imediatas.

Causas:

Alunos
- Atrasos do desenvolvimento cognitivo. As escalas psicométricas de inteligência são um bom indicador para identificar estas causas individuais de insucesso escolar. O problema é que a grande maioria dos alunos que falham nos resultados escolares têm um desenvolvimento normal.
- A instabilidade característica da adolescência consta entre as muitas causas individuais do insucesso. Ela conduz muitas vezes o aluno a rejeitar a escola, a desinvestir no estudo das matérias, e frequentemente à indisciplina.
Famílias
- Pais autoritários, conflitos familiares, divórcios litigiosos fazem parte de um extenso rol de causas que podem levar a que o aluno se sinta rejeitado, e comece a desinteressar-se pelo seu percurso escolar, adotando um comportamento indisciplinado.
A origem social dos alunos tem sido a causa mais usada para justificar os piores resultados, sobretudo quando são obtidos por alunos originários de famílias de baixos recursos económicos, onde aliás se encontra a maior percentagem de insucessos escolares.

Professores
- Métodos de ensino e recursos didáticos inadequados às características da turma ou de cada aluno.
- A gestão da disciplina na sala de aula é outro fator que condiciona bastante o rendimento escolar dos alunos.
- Os professores no início do ano criam expectativas positivas ou negativas sobre os alunos que acabam por influenciar o seu desempenho escolar.
- A avaliação é subjetiva e varia em função de uma multiplicidade de fatores. O contexto escolar, os métodos de avaliação, as disciplinas, os professores, os critérios utilizados, o modo como estes são interpretados, etc.

Escolas
- O estilo de liderança do diretor, presidente do conselho executivo, etc.
- Expectativas baixas dos professores e dos alunos em relação à escola.
- Clima de irresponsabilidade e de falta de trabalho.
- A deficiente orientação vocacional que muitos alunos revelam no ensino pós-obrigatório é agravada pela ausência nas escolas de serviços de informação e orientação adequados.
- O elevado número de alunos por escola e turma tende igualmente, não apenas a provocar o aumento dos conflitos, mas sobretudo a diminuir o rendimento individual.
- A organização de turmas demasiado heterogéneas não apenas dificulta a gestão da aula pelo professor, mas também a sua coesão do grupo, traduzindo-se no incremento de conflitos internos.

Como referenciar: in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-18 13:26:22]. Disponível na Internet: