Artigos de apoio

intérfase

A intérfase compreende o período total de tempo desde a formação da célula até à divisão celular.
Inicialmente os citologistas, desconhecendo a constante atividade molecular da célula e impressionados pelos óbvios movimentos da divisão celular, denominavam intérfase toda a parte do ciclo celular que não incluía a divisão. O termo intérfase reflete a ideia que se trata de um estádio entre duas divisões celulares. Contudo, tal não é correto, porque durante a intérfase, a célula realiza todas as suas atividades e prepara-se para a divisão. O termo mais correto para esta fase talvez devesse ser fase metabólica ou fase de crescimento.
Além das atividades para a sobrevivência vital, na intérfase a célula prepara-se para a próxima divisão. A intérfase é subdividida em três sub-fases: G1, S e G2.
Durante G1, a primeira parte da intérfase, as células são metabolicamente ativas, rapidamente sintetizam proteínas e crescem vigorosamente. Esta é a fase mais variável em termos de duração. Células com alta taxa de divisão apresentam uma fase G1 com a duração de algumas horas enquanto nas que têm uma taxa de divisão baixa esta fase pode demorar dias ou alguns anos.
No decorrer da fase G1, as atividades que ocorrem nas células não estão diretamente relacionadas com a divisão celular, mas no fim desta fase, os centríolos replicam preparando-se para o seu papel na divisão celular. Durante a fase seguinte, a fase S (síntese), o ADN replica assegurando que as duas futuras células recebam cópias iguais do material genético e novas histonas são fabricadas e associadas à cromatina. A fase final da intérfase G2 é muito rápida. Durante este período, são sintetizadas enzimas e outras proteínas necessárias para o processo de divisão. Durante as fases S e G2 a célula continua a crescer e a realizar as suas atividades normais.
Como referenciar: in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [consult. 2014-12-19 07:58:01]. Disponível na Internet: