Artigos de apoio

modelo atómico de Bohr

Em 1913, pouco antes da Primeira Guerra Mundial, o físico Bohr propôs, com base em estudos feitos sobre o átomo de hidrogénio, um novo modelo atómico com algumas alterações ao modelo atómico de Rutherford.Para o seu modelo, Bohr estabeleceu alguns postulados segundo os quais os eletrões se movem em órbitas em torno do núcleo e apenas são permitidas as órbitas cujo momento angular seja um múltiplo de h/2, sendo h a constante de Planck, ou seja, órbitas circulares bem definidas e estáveis. Neste movimento, o eletrão não perde energia e quando o eletrão salta entre órbitas permitidas é emitida energia. Este salto origina a emissão de radiação, de frequência múltipla da diferença de energias das órbitas a dividir por h.
Um eletrão pode passar de uma órbita para outra absorvendo ou emitindo radiação, conservando-se a energia no processo.
Bohr, tomou como ponto de partida para o desenvolvimento do seu modelo atómico o átomo mais simples, isto é, o de hidrogénio.
Admitiu que o átomo tinha uma estrutura nuclear, mas os eletrões só poderiam girar em volta do núcleo em determinadas órbitas bem definidas e estáveis. Os eletrões estariam condicionados a só poderem ocupar determinadas posições, às quais corresponderia uma quantidade de energia potencial bem definida, isto é, os eletrões só poderiam ocupar determinados níveis de energia.
A teoria atómica de Bohr permitiu interpretar os espetros de emissão e de absorção.

1

2

3

4

5