Artigos de apoio

princípio da conservação da energia mecânica

O princípio da conservação da energia mecânica diz que num sistema isolado constituído por corpos que interagem apenas com forças conservativas, a energia mecânica total permanece constante.
Um corpo em queda livre perde constantemente energia potencial gravítica mas, ao mesmo tempo, aumenta a sua velocidade, de forma que aumenta também a sua energia cinética.
No caso de não existirem atritos, a diminuição da energia potencial gravítica em qualquer ponto do percurso é igual ao aumento de energia cinética.
Do mesmo modo, se um corpo for lançado para cima, o aumento da energia potencial gravítica entre dois pontos é igual à diminuição da energia cinética.
Este princípio também pode ser aplicado a sistemas em que há transformação de energia potencial elástica em energia cinética, e vice-versa. Como acontece, por exemplo, n o caso de uma mola.
Pode dizer-se, em geral, que num sistema sobre o qual só atuam forças conservativas, a energia mecânica total do sistema (Em) (soma da energia potencial com a energia cinética) permanece constante, ou seja, é conservada.
Então, no sistema corpo-Terra, a variação da energia mecânica total do sistema é igual a zero.
Estas afirmações exprimem, de modos diferentes, o mesmo princípio: o da conservação da energia mecânica.
Um exemplo prático deste princípio, baseado na contínua transformação de energia potencial gravítica em energia cinética, se se considerarem desprezáveis os atritos, é o caso da montanha-russa que existe nos parques de diversões.
O princípio da conservação da energia mecânica é de grande importância para a Humanidade. Prova também que é impossível obter trabalho do nada. Quando uma máquina funciona tem que consumir energia de qualquer fonte.

1

2

3

4

5