Artigos de apoio

texto lírico

texto lírico
O texto lírico é aquele que, recorrendo a um discurso denso, expressivo, breve e conciso, permite, artisticamente e com musicalidade e ritmo, exprimir as emoções, os sentimentos, os desejos ou os pensamentos íntimos que nascem ou se apresentam ao espírito, ou seja, ao mundo interior do "Eu".
No texto lírico, predomina uma voz central, um "Eu" que, sem preocupações espácio-temporais, revela o seu olhar sobre o mundo, com que se funde, e aprofunda as suas vivências emocionais, os seus estados de alma, reflexões, conceções e sentimentos. Usualmente, recorre à enunciação na primeira pessoa, podendo traduzir entusiasmos individuais e coletivos.
A poesia é a forma de literatura que melhor e com mais frequência privilegia o lirismo, embora também o possamos encontrar em diversos textos de prosa. O verso e os recursos sonoros e textuais, como rima, métrica, ritmo, musicalidade e figuras de linguagem favorecem, na poesia, o tratamento desta expressão de sentimentos, das emoções e pensamentos. Isto não invalida a presença da efusão lírica em belíssimos textos de prosa, cuja estrutura frásica, o predomínio da linguagem conotativa e das funções poética e emotiva, o vocabulário marcadamente afetivo, ou as imagens permitem exprimir a mensagem individual e íntima. O que interessa é a criação onde dominam as preocupações do "EU" que procura comunicar os seus estados de alma e as suas reações.

recursos da poesia lírica
A poesia lírica tem como primeira referência o aspeto que apresenta: o verso, ou seja, cada uma das linhas que formam um poema e que representam uma sucessão de sons (uma unidade rítmica). O verso distingue-se das frases em prosa, na medida em que estas têm uma extensão indeterminada que pode prolongar-se nas linhas seguintes.
Os versos agrupam-se em estrofes ou estâncias. O número de versos por estrofes pode ser variável, embora a poesia, tradicionalmente, usasse, agrupamentos regulares: monóstico (um só verso), dístico ou parelha (dois versos), terceto (três versos), quadra (quatro versos), quintilha (cinco versos), sextilha (seis versos), sétima (sete versos), oitava (oito versos), nona (nove versos) e décima (dez versos).
A medida que regula o número de sílabas longas ou breves (sílabas pronunciadas) de cada verso chama-se metro. Essas sílabas que correspondem aos sons dizem-se sílabas métricas e denomina-se escansão a sua divisão no verso. Conforme o número de sílabas métricas (de uma a doze), os versos podem ser classificados como monossílabo, dissílabo, trissílabo, tetrassílabo, pentassílabo ou redondilha menor, hexassílabo, heptassílabo ou redondilha maior, octossílabo, eneassílabo, decassílabo, hendecassílabo e dodecassílabo ou alexandrino.
Considera-se rima a uniformidade ou correspondência harmónica de sons na terminação de dois ou mais versos (a partir da vogal tónica da última palavra).
As rimas classificam-se quanto à disposição ou ligação entre os versos, como emparelhadas (se os versos rimam dois a dois, segundo o esquema AA, BB...), cruzadas ou alternadas (se há um de permeio entre dois versos que rimam entre si, segundo o esquema ABAB, ABCB...), interpoladas (se os versos que rimam estão separados por dois ou mais versos de terminações diferentes, segundo o esquema ABBA, ABCA, ABCDA...), encadeadas (quando a terminação de um verso rima com uma palavra no interior do seguinte ou quando obedece ao esquema rimático ABA, BCB, CDC...) e interior (se tem a forma de rima encadeada, usada no interior dos versos); diz-se verso branco ou solto se o verso não está sujeito a rima.
Quanto à acentuação, as rimas são agudas ou masculinas (se o acento tónico recai na última sílaba), graves ou femininas (se o acento tónico recai na penúltima sílaba) e esdrúxulas (se o acento tónico recai na antepenúltima sílaba).
Quanto às classes gramaticais das terminações ou frequência de uso, as rimas podem ser pobres (se acontece com palavras da mesma categoria gramatical ou com terminações demasiado frequentes) ou ricas (se acontece com palavras de diferente categoria gramatical).
Quanto aos elementos vocálicos e consonânticos das terminações, as rimas dizem-se toantes ou vocálicas (se a partir da vogal da sílaba tónica rimam apenas os sons de vogais) e consoantes ou soantes (se, nas terminações dos versos que rimam, as vogais e consoantes a partir da vogal da sílaba tónica são iguais).

1

2

3

4

5