A Terra foi-lhe Negada

Obra de Maria da Graça Freire, publicada em 1958, é uma narrativa autodiegética, evocadora, num exame de consciência nascido da necessidade de explicar o presente à luz do passado, dos conflitos sentimentais e raciais levantados em torno de uma relação amorosa entre um homem de cor e uma mulher branca. "História arrancada à vida, que narra a união e os desencontros de dois seres que tudo parecia separar: a raça e os preconceitos" (cf. contracapa, Lisboa, 1958), o discurso narrativo impõe-se para a protagonista simultaneamente como busca da verdade e como equacionamento, enquanto mulher, da sua condição existencial.
Como referenciar: Porto Editora – A Terra foi-lhe Negada na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-26 13:22:05]. Disponível em