ábaco (instrumento)

Considerado uma espécie de calculador mecânico, supõe-se que o seu nome derive do grego abakos, que significa "superfície plana", e que se tenha desenvolvido de forma independente em diferentes países e regiões, e por povos tão distintos como os chineses, japoneses, gregos, romanos e azetecas. Pensa-se, no entanto, que terá tido origem na Ásia Menor, há cerca de três mil anos a. C., e sabe-se que constituiu um instrumento de cálculo rápido fundamental até à invenção da calculadora de Blaise Pascal, em meados do século XVII.
De forma retangular, é formado por uma moldura e várias cordas ou barras (habitualmente de madeira ou ferro) que a atravessam, no sentido vertical. Em cada uma destas barras existem pequenas peças - fichas, cartas ou bolas - móveis, que deslizam ao longo do seu comprimento. Existem, no entanto, algumas variações: alguns ábacos, por exemplo, apresentam uma separação no sentido longitudinal das barras, formando assim dois setores, em que um é bastante menor do que o outro.
O ábaco pode ser considerado como o primeiro instrumento mecânico de cálculo de operações como a adição, a subtração, a multiplicação e a divisão, e até pode ser usado para a extração de raízes quadradas. Nos dias de hoje subsiste ainda como instrumento auxiliar de cálculo em certas zonas da Ásia. Embora uma das suas potencialidades seja valer como um substituto da memorização das tabelas da multiplicação, o ábaco representa também um instrumento de ensino de outros sistemas numéricos de bases, diferentes do sistema decimal, chegando mesmo a ser, para os deficientes visuais, uma alternativa ao papel e ao lápis.
Como referenciar: ábaco (instrumento) in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-07 01:38:14]. Disponível na Internet: