Abraham a Sancta Clara

Escritor e pregador alemão, Abraham a Sancta Clara nasceu com o nome de Johann Ulrich Megerle a 2 de julho de 1644, na pequena aldeia de Kreenheinstetten, situada na bacia do Baden e nas cercanias de Messkirch, na Alemanha. Filho de taberneiro, teve oportunidade de ingressar na escola local aos seis anos de idade.
Aluno exemplar, transitou aos nove para a escola de Messkirch, onde iniciou os seus estudos de Latim. Em 1656 prosseguiu para Ingolstadt, onde permaneceu até 1659, por ocasião da morte do pai. Foi então entregue aos cuidados do tio, um dignitário eclesiástico que imediatamente tratou de o transferir para o reputado colégio beneditino de Salzburgo, na Áustria.
Juntou-se depois à Ordem dos Agostinhos Descalços e, quando chegou a altura de renunciar ao seu nome terreno, resolveu honrar o seu tio, passando como ele a chamar-se Abraham. Tendo completado o seu noviciado e os seus estudos de Teologia em Maria Brunn, foi ordenado sacerdote em Viena, no ano de 1666.
Foi então enviado para a paróquia de Taxa, nos arredores de Augsburgo e, três anos depois, trazido de novo para Viena, facto que significava uma importante promoção. A sua ascensão continuou e, em 1677, foi nomeado pregador da Corte Imperial austríaca, junto de Leopoldo I. O ano de 1679 ficou tragicamente marcado por um surto de peste que se abateu sobre a cidade de Viena. Abraham a Sancta Clara tratou de procurar refúgio, permanecendo cerca de cinco meses na Baixa Áustria, desempenhando as funções de capelão. Apesar de tudo, não só retomou o púlpito em 1680, como foi nomeado prior do Convento de Viena. Nesse mesmo ano, publicou a sua primeira obra, um relato vívido e minucioso da devastação da capital austríaca pelo flagelo da peste, Merk's, Wien! (1680), e ao qual se seguiu Lösch Wien (1680), uma exortação à purificação dos pecados que, segundo o autor, teriam atraído a cólera divina.
O seu terceiro livro, Die Grösse Tötenbruderschaft (1681), revela-se como um extenso obituário das vítimas da peste, mas que incidia subtilmente na igualdade dos seres humanos perante a inevitabilidade da morte. Em 1684 publicou uma compilação de sermões, reunidos com o título Reim dich, oder Ich lis dich.
A obra-prima de Abraham a Sancta Clara apareceu entre 1686 e 1695 - Judas, der Erzschelm, que se debruça sobre a vida apócrifa do traidor proverbial, juntando-lhe reflexões morais bastante elaboradas. De destacar também Huy! Und Pfuy der Welt (1707), Centifolium Stultorum in Quarto (1709) e Wohl angefüllter Weinkeller (1710).
Tendo deteriorado a sua saúde em resultado do seu dinamismo, viu a sua situação agravar-se com cada vez mais frequentes crises de gota, que o obrigavam à imobilização. Acabou por falecer a 1 de dezembro de 1709, na cidade de Viena.
A sua obra influenciou muitos outros escritores alemães, nomeadamente o seu conterrâneo Friedrich Schiller e Jean-Paul Richter.
Como referenciar: Abraham a Sancta Clara in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-01-20 04:56:28]. Disponível na Internet: