Abu Abbas

Terrorista palestiniano, Abu Abbas nasceu em 1948, na Síria, num campo de refugiados palestinianos. O seu nome de batismo era Mohammed Abbas. A família vivia em Tira, perto de Haifa, mas fugiu para a Síria quando foi criado o estado de Israel.
Abu Abbas estudou na Universidade de Damasco, na Síria, e licenciou-se em Literatura Árabe. Durante o seu tempo de estudante universitário juntou-se a movimentos políticos. Em 1967 filiou-se na Frente Popular para a Libertação da Palestina e, a partir desta altura, começou a participar em ações de guerrilha, contra Israel mas também contra fações rivais palestinianas. No entanto, a certa altura achou que o grupo estava mais preocupado com questões filosóficas do que com a luta armada e saiu com outros colegas para formar, em 1976, a Frente de Libertação da Palestina (FLP), que viria a pertencer à Organização para a Libertação da Palestina (OLP).
Foi com elementos deste grupo que em 1985 liderou, no Mar Mediterrâneo, o sequestro do paquete italiano Achille Lauro e fez cerca de 450 reféns. Um dos reféns, um idoso judeu norte-americano que se deslocava numa cadeira de rodas, foi morto e atirado ao mar. Abu Abbas exigia em troca dos reféns a libertação de 50 palestinianos presos por Israel. Dois dias depois, o Egito autorizou a atracagem do Achille Lauro em troca dos reféns. Aos sequestradores foi dada a possibilidade de fugirem de avião para a Tunísia, onde a FLP, liderada por Abbas, esteva sedeada, mas o aparelho acabou por ser intercetado por caças norte-americanos que o obrigaram a aterrar em Itália. Os três cúmplices de Abu Abbas foram condenados a prisão perpétua, mas ele foi libertado por falta de provas.
Abbas viria a ser julgado à revelia em Itália em 1987, por nessa altura ter ficado provado que liderou o sequestro. Foi condenado a cinco penas de prisão perpétua.
Desde a época em que foi condenado viveu escondido na Tunísia, na Líbia, em Gaza e, desde 1994, no Iraque, onde estava protegido pelo presidente Saddam Hussein. Enquanto esteve em Gaza chegou a marcar presença numa reunião do Conselho Nacional Palestiniano e encontrou-se regularmente com diversos dirigentes. Nessa altura, reconheceu que o sequestro do Achille Lauro foi um erro. No entanto, em outubro de 2000, em declarações à televisão iraquiana, apelou à guerra santa contra Israel.
Na noite de 14 de abril de 2003, Abu Abbas e alguns cúmplices foram capturados em Bagdade, no Iraque, pelas forças militares norte-americanas que invadiram o país. Antes Abbas tentara fugir para a Síria.
A 9 de março de 2004 as autoridades norte-americanos anunciaram que Abu Abbas tinha morrido de causas naturais nesse dia no Iraque, onde continuava detido.
Como referenciar: Porto Editora – Abu Abbas na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-03 10:49:57]. Disponível em