Acordos de Dayton

Constituindo um documento de 150 páginas, 11 anexos e 102 mapas, os Acordos de Dayton foram estabelecidos a 21 de novembro de 1995 pelos presidentes da Croácia, Bósnia-Herzegovina e Sérvia, reunidos na base aérea de Dayton, no Ohio. Foi mais uma tentativa de resolver os conflitos étnicos violentos na Bósnia-Herzegovina.
Resultando de três semanas de difíceis negociações em que o fracasso pareceu iminente, estes acordos, que previam que a Bósnia-Herzegovina permanecesse como um estado dividido em duas partes, foi assinado em Paris a 14 de dezembro do mesmo ano.
A fragilidade da paz estabelecida por este acordo e a dimensão dos danos provocados pela guerra levaram a que se procedesse ao policiamento das novas fronteiras por parte dos soldados da IFOR (missão militar de imposição da paz, da Organização das Nações Unidas) nos doze meses seguintes. O estado bósnio ficou a ser constituído por duas unidades políticas, a Federação Croato-Muçulmana e a República Sérvia, definindo-se Sarajevo como capital da Bósnia-Herzegovina unificada.
Como referenciar: Acordos de Dayton in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-11 19:40:23]. Disponível na Internet: