Aeroporto de Gatwick

O Aeroporto Internacional de Gatwick, em Crawley, nos arredores de Londres, em Inglaterra, é o segundo mais movimentado do país, a seguir a Heathrow, e existe desde 1930, quando no local foi inaugurado um aeródromo.
Tem duas pistas, uma com 3316 metros e outra com 2565, embora esta última só seja utilizada quando a primeira não está operacional, já que as duas não podem funcionar em simultâneo. Gatwick dispõe de dois terminais.
Duas das maiores companhias aéreas britânicas, a British Arways e a Virgin, têm em Gatwick das suas principais bases de operações. Este aeroporto é também aquele ao qual mais recorrem as companhias de voos charter, dado que estes por norma estão impedidos de operar em Heathrow. Daqui também parte e chega a maior parte dos voos para os Estados Unidos da América, um dos 200 destinos que estão associados ao aeroporto. O nome Gatwick surgiu no século XIII para designar as terras de um lorde que ficavam ali situadas e significa “a quinta do bode”.
Em 1930, começou a ser oficialmente utilizada uma pista de aviação no local, uma antiga pista de corridas de cavalos, e foi instalado um aeródromo, utilizado pelo Aeroclube de Surrey. Dois anos mais tarde, passou a funcionar no local uma escola de aviação e, em 1933, o aeródromo foi vendido a um investidor que apresentou um projeto para montar um aeroporto. Em 1936, começaram a operar em Gatwick voos com destino à Europa. No entanto, devido a dois acidentes ocorridos ainda nesse ano, ao insistente nevoeiro que existia na região e a constantes inundações, a British Airways passou a operar a partir do aeroporto de Croydon, em 1937. Assim, Gatwick passou a ser utilizado apenas para voos particulares e para treinos da força aérea. Em 1939, devido à Segunda Guerra Mundial, o aeroporto foi requisitado pela Real Força Aérea, servindo essencialmente para a manutenção de aviões. Depois da guerra, o aeroporto continuou a servir principalmente para serviços de manutenção, assim como para voos charter.
Em 1953, o governo britânico decidiu que Gatwick iria servir como alternativa a Heathrow e a British Airways voltou a voar a partir do aeroporto. Em 1956, Gatwick fechou para profundas obras de remodelação e reabriu a 9 de junho de 1958, tendo sido inaugurado pela rainha Isabel II.
O renovado aeroporto de Gatwick foi o primeiro do mundo com ligação direta ao comboio.
Tendo conhecido um grande desenvolvimento, foram acrescentadas novas zonas de cais em 1983 e 2005, e um novo terminal, em 1988.
A companhia aérea portuguesa TAP-Air Portugal opera a partir de Gatwick para Lisboa, Porto e Funchal.
O Aeroporto de Gatwick já foi palco de dois acidentes aéreos graves. A 17 de fevereiro de 1959, um avião turco despenhou-se quando fazia a aproximação à pista e morreram 12 pessoas. Um dos dez sobreviventes foi o então primeiro-ministro da Turquia, Adnan Menderes. A 5 de janeiro de 1969, um avião afegão embateu numa casa quando tentava aterrar em Gatwick com pouca visibilidade. Morreram 50 dos 66 ocupantes do aparelho e duas pessoas que estavam no solo.
Como referenciar: Aeroporto de Gatwick in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 05:39:00]. Disponível na Internet: