Aeroporto de Schiphol

O aeroporto de Schiphol, situado a 17 quilómetros a sudoeste de Amesterdão, na Holanda, é um dos mais movimentados da Europa.
O aeroporto holandês tem cinco pistas principais e um único terminal que se divide em três secções.
Schiphol é, entre os maiores aeroportos do mundo, o que fica situado a um nível mais baixo, já que está três metros abaixo do nível do mar. A sua torre de controlo, quando foi construída em 1991, era a mais alta do mundo, com 101 metros. Em Schiphol está sediada a KLM, a companhia aérea holandesa, assim como a Martinair e a Transavia. A companhia norte-americana Northwest Airlines faz deste aeroporto a sua base de operações na Europa.
A companhia aérea portuguesa TAP opera em Schiphol com voos para Lisboa, Porto, Faro e Funchal.
Schiphol começou a receber aviões em setembro de 1916, funcionado na altura como base militar. Em dezembro de 1920 arrancaram no local os voos civis.
Na década de 30 foi lançada a ideia, apoiada pelo governo holandês, de fechar o aeroporto, para se construir um mais central na Holanda, mas a cidade de Amesterdão não concordou e investiu em Schiphol, financiando a construção de pistas asfaltadas.
Durante a Segunda Guerra Mundial, os bombardeamentos dos Aliados deixaram o aeroporto bastante danificado, mas acabou por ser reconstruído.
Em 1951 o fabricante de aviões Fokker instalou uma fábrica no local.
A 14 de novembro de 1946, um Douglas C-47 da KLM caiu e incendiou-se ao tentar aterrar em más condições atmosféricas, provocando a morte das 26 pessoas que seguiam a bordo.
A 27 de outubro de 2005 houve um incêndio no centro de detenção do Aeroporto de Schiphol que provocou a morte a onze pessoas.
Como referenciar: Aeroporto de Schiphol in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 05:35:55]. Disponível na Internet: