Agostinho Ricca

Arquiteto português, nascido em 1915, no Porto, estudou Arquitetura na ESBAP - Escola Superior de Belas-Artes do Porto, tendo sido aluno de Marques da Silva, entre outros.
Colaborou no projeto de restauro do Paço dos Duques de Bragança com o arquiteto portuense Rogério de Azevedo enquanto estagiava na DGEMN - Direção-Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais.
Entre 1940 e 1945 trabalhou no Gabinete de Urbanização da Câmara Municipal do Porto, colaborando com o arquiteto italiano Giovanni Muzio, onde elabora o 1.º Plano de Urbanização da Cidade do Porto.
Iniciou a sua atividade independente como arquiteto em 1943, tendo sido um dos fundadores da ODAM - Organização dos Arquitetos Modernos.
Em 1953 é convidado pelo arquiteto Carlos Ramos, diretor da Escola Superior de Belas-Artes do Porto, juntamente com três outros arquitetos da ODAM, José Carlos Loureiro, Mário Bonito e Fernando Távora, para lecionar a cadeira de Arquitetura, onde permanece até 1980. Esta atividade é interrompida entre 1959 e 1977 devido a divergências com o regime político vigente na altura.
São de realçar, da sua vasta obra, os projetos para os remates das ruas de Sá da Bandeira e Júlio Dinis, na Baixa do Porto, feitos com Benjamim do Carmo nos anos 50; o edifício de habitação do Montepio Geral na Rua Júlio Dinis (1961); o Parque Residencial da Boavista/Foco (1961-74); a Igreja de Nossa Senhora da Boavista (1979); a Câmara Municipal de Santo Tirso (1970); e a Urbanização da Quinta de Miramar, na Foz, Porto (1980-84).
Como referenciar: Porto Editora – Agostinho Ricca na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-30 21:03:54]. Disponível em