Ala dos Namorados (banda)

As raízes da Ala dos Namorados, grupo musical português, remontam a maio de 1993, quando Manuel Paulo, João Gil (ex-Trovante) e João Monge se juntaram para compor canções. A esse trio juntou-se José Moz Carrapata. O quarteto prosseguiu sem vocalista até 1992, por ocasião de um concerto de Carlos Paredes. A história da presença de Nuno Guerreiro nesse concerto é curiosa. O cantor estava na assistência de um dos últimos ensaios para o concerto do S. Luís e, cantando improvisadamente, chamou a atenção dos músicos presentes e do próprio Carlos Paredes. Nuno Guerreiro aceitou o convite para se juntar ao coletivo e assim teve a oportunidade de contactar com diversos músicos, entre os quais Manuel Paulo. Daí ao surgimento da Ala dos Namorados bastou um convite do quarteto para que o cantor se lhes juntasse como vocalista. Nascia um dos projetos de maior destaque da nova música portuguesa, pela talentosa mescla de estilos tão díspares como o jazz, o fado e a música tradicional.
Estrearam-se em 1994, com álbum homónimo, do qual fizeram parte temas como "Loucos de Lisboa", "Ao Sul" e "Troca Pingas". Seguiu-se Por Minha Dama (1995). Na sequência do seu segundo longa-duração, o grupo regista uma significativa expansão além-fronteiras, atuando em festivais de nomeada de diversas cidades europeias, como Brugges, Barcelona e Utrecht.
No ano seguinte, é editado Alma, que conta com a colaboração de um extenso rol de convidados, na área instrumental da música, bem como de um coro da Fundação Calouste Gulbenkian. A edição deste disco, para além do mercado nacional, envolveu a Bélgica e a Holanda, países onde a banda obtivera alguma notoriedade. A produção ficou a cargo dos elementos do grupo. Solta-se O Beijo, gravado ao vivo, foi o disco seguinte, cujo tema-título contava com a voz de Sara Tavares e foi um dos maiores sucessos do ano, com vendas superiores a 40 mil unidades. Fez ainda parte deste álbum uma versão do clássico de Elvis Presley, "Can't Help Falling In Love", na qual se destaca a participação do grupo Vozes da Rádio.
Nos seus espetáculos ao vivo, a Ala dos Namorados recorre a músicos de suporte, como são os casos de José António Santos, no clarinete e clarinete baixo, Zé Nabo, no baixo, e André Rocha, nas percussões.
Fora do âmbito do grupo, Nuno Guerreiro (Loulé, 1972- ), possuidor de voz ímpar no panorama musical português, gravou, em 1999, o álbum a solo Carta de Amor, a convite da editora EMI do Japão. Gravado com o maestro e produtor japonês Akira Senju, este disco consiste na interpretação de clássicos como "Amazing Grace", "When The Saints Go Marching In" e "My Funny Valentine". Foi ainda lançada a compilação Ao Sul exclusivamente no mercado japonês.
Já no ano 2000, saiu o álbum Cristal, seguindo na linha de composição que trouxe a Ala ao sucesso. O primeiro single "Fim do Mundo" (E Ao Cabo Do Teu Ser) teve direito a bastante airplay nas rádios nacionais e o disco acabou por confirmar o talento deste projeto nacional, sendo lançada também uma versão especial com cinco faixas extra. Neste trabalho, regista-se a colaboração de Catarina Furtado, nas letras, e de diversos músicos, destacando-se Jacques Morelenbaum, Vozes da Rádio e alguns elementos da Orquestra Filarmónica de Turim.
Em março de 2004, foi editado o álbum Ao Vivo no S. Luís, que regista um espetáculo memorável da banda e que faz um apanhado de uma década de êxitos, transpondo para o registo fonográfico o ambiente ímpar das canções da Ala dos Namorados e da voz de Nuno Guerreiro. Além da edição em disco, o grupo optou por editar também o concerto, gravado no ano anterior, num duplo DVD. Este registo contém dois temas inéditos da Ala dos Namorados, nomeadamente "Ausência", uma versão de Cesária Évora, e "No Concerto Do Palma" (único tema gravado em estúdio), escolhido para single de apresentação do trabalho.
Como referenciar: Ala dos Namorados (banda) in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-19 07:18:23]. Disponível na Internet: