alcionários

Os alcionários são muitas vezes referidos como octacoraliários devido à sua estricta simetria octogonal, com oito tentáculos espinosos e oito septos simples completos. São uma subclasse dos Antozoários e são sempre coloniais. O apreciado coral vermelho (Corallium) utilizado em joalharia, tem o esqueleto espicular. A cavidade gastrovascular dos pólipos comunica através de um sistema de tubos denominado solénia. A solénia percorre a extensa mesogleia recoberta pela epiderme. O esqueleto é segregado pelos corpos celulares e é constituído por espículas calcárias, espículas unidas por uma proteína córnea, muitas vezes todas combinadas. O esqueleto de suporte da maioria dos alcionários é um endoesqueleto. A variedade morfológica dos alcionários revela-se na grande variedade de formas das suas colónias. Desde o flexível coral Gersemia, com as suas espículas disseminadas na mesogleia, até aos de esqueleto rígido, que suportam corais muito ramificados. O coral do género Remiela, o amor-perfeito do mar, é uma colónia constituida por várias colónias. Os seus pólipos encontram-se na parte superior do suporte da colónia envolvida pela água do mar. O género Ptilosarcurs, ou pena-do-mar, tem cerca de 50 cm de comprimento.
A beleza dos alcionários, nas tonalidades de amarelo, vermelho, laranja e púrpura, constituem os "jardins submarinos" dos aglomerados de coral. Esta subclasse é constituida por seis ordens: estoloníferos, telestáceos, alcináceos, cenotecalios, gorgonáceos e pensatuláceos.
Conhecem-se cerca de 6100 espécies de alcionários.
Como referenciar: Porto Editora – alcionários na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-28 09:51:19]. Disponível em