Aldeia

Obra da autoria de Afonso Ribeiro, editada em 1943, cujo título remete desde logo para um protagonista coletivo, a aldeia, evocada enquanto espaço físico e social. Partindo de um desenho esquemático, o romancista opõe, a um lado, trabalhadores rurais e rendeiros, e do outro, os senhores da terra; antinomia a que corresponde a oposição de espaços: os primeiros, num "quelho" em casas miseráveis; os segundos, em habitações amplas. Visando a desmistificação de uma visão idílica do mundo rural, a uns e outros são, porém, comuns vícios, ignorância e miséria moral, fixando com dureza algumas das suas figuras: o Saraiva, aproveitando o desespero de alguns pobres proprietários para lhes lançar hipotecas e aumentar as propriedades; Gaudêncio ou as Feio conduzidos a uma cada vez maior dureza e secura pela fome e pela pobreza. Mau grado esta nítida intencionalidade, o romance revela grande mestria num ficcionista que optou por dotar cada capítulo de uma certa autonomia e pela, consequente, não linearidade do discurso narrativo.
Como referenciar: Aldeia in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-12-06 02:04:47]. Disponível na Internet: