Alice Cooper

Músico rock norte-americano, Vincent Damon Furnierm mais conhecido como Alice Cooper, nasceu a 4 de Feveiro de 1948, em Detroit, no Estado do Michigan, nos EUA. Furnier fundou a sua primeira banda no início da década de 60. Os The Earwigs, rebatizados Spiders em 1965, também respondiam pelo nome de The Nazz. Sob esses dois epítetos, Furnier editou singles, num universo local, conseguindo um entusiasmo moderado nessas esferas. Quando, em 1968, o grupo tomou conhecimento de outra banda com o nome The Nazz, mudou definitivamente a designação para Alice Cooper. Segundo reza a história do grupo, a inspiração para esse nome veio da de um fã que via em Furnier a reincarnação de uma feiticeira do século XVII assim chamada. A formação original da banda incluía, além do próprio Furnier (vocalista), os guitarristas Mike Bruce e Glen Buxton, o baixista Dennis Dunaway e o baterista Neal Smith. Ainda no decorrer do ano de 1968, a banda muda-se para a Califórnia, onde tem oportunidade de conhecer Shep Gordon - havia de vir a ser o seu manager - e Frank Zappa. O mítico músico assegurou-lhes um contrato discográfico com a sua própria editora, a Straight Records.
O primeiro álbum, "Pretties for You", surgiu um ano mais tarde, seguido de "Easy Action" (1970), ambos sem expressão comercial. Aos poucos, a reputação do grupo parecia diminuir no círculo de Los Angeles, pelo que os Alice Cooper decidem regressar A Detroit, terra natal de Furnier. Durante esse ano, a banda apurou o sentido bizarro das suas atuações e o contrato de gravação foi transferido para a principal distribuidora da Straight Records, a Warner. Ligados a uma major, os Alice Cooper começaram as gravações do terceiro registo de estúdio na companhia do produtor Bob Ezrin. Foi com esse engenheiro de som que os Alice Cooper desenvolveram o sentido clássico do seu rock pesado. "Love It to Death" (1971) incluía o primeiro single a chegar às tabelas de vendas ("Eighteen"). O álbum haveria de tornar-se disco de ouro e atingiria o número 35 dos tops americanos. Com essa semente de sucesso, o grupo criou um conceito de atuação ainda mais chocante e elaborado, o que viria a tornar a referência Alice Cooper muito popular em solo americano e também em certos nichos do Reino Unido. "Killer", lançado no final de 1971, também foi disco de ouro.
A definitiva afirmação comercial dos Alice Cooper aconteceu com "School's Out" (1972), uma entrada direta para o segundo lugar das tabelas de vendas de álbuns nos EUA e que venderia mais de um milhão de cópias. O single que dava nome ao longa duração mereceu um sucesso estrondoso tanto em terras americanas como no Reino Unido. "Billion Dollar Babies" (1972) seria o registo mais bem sucedido da banda, atingindo os primeiros lugares das tabelas inglesas e americanas. O seu sucessor, "Muscle of Love" (1973), ficou bastante aquém deste êxito e viria a ser o requiem da banda. Depois desse álbum, Furnier e os restantes membros dos Alice Cooper seguiram caminhos separados. Furnier mudou oficialmente o seu nome para Alice Cooper e embarcou numa carreira individual igualmente teatralizada e chocante. Os restantes elementos da extinta banda, agora sob a designação de Billion Dollar Babies, gravaram um disco sem reconhecimento.
Para o seu primeiro registo a solo, Furnier, agora Alice Cooper, contratou a banda de suporte de Lou Reed (com ele tinham gravado "Rock'N'Roll Animal"). Eram: Dick Wagner e Steve Hunter (guitarras), Prakash John (baixo), Joseph Chrowski (teclas) e Penti Glan (bateria). "Welcome to My Nightmare" (1975) não se distinguia vincadamente dos trabalhos anteriores, mas conseguiu marcas comerciais assinaláveis nos EUA, muito graças à balada acústica "Only Women Bleed". O êxito individual de Alice Cooper pôs um ponto final nas hipóteses de a banda original se reagrupar. "Alice Cooper Goes to Hell" chegou às lojas no ano seguinte e foi a disco de ouro. A partir daqui, a carreira de Cooper resvala perigosamente, especialmente por culpa do alcoolismo do músico. Cooper encetou um programa de reabilitação em 1978 e escreveu um álbum a propósito desse episódio. "From the Inside" (1978) foi escrito na companhia do letrista de Elton John, Bernie Taupin. Durante a década de 80, Alice Cooper continuou a gravar e a atuar mas a sua popularidade estava consideravelmente diminuída. O seu renascimento comercial aconteceria no final dos anos 80, por força da sua participação em filmes de terror e das sucessivas homenagens de novas bandas ao seu legado rock. Se "Constrictor" (1986) já mostrou sinais de retoma de Cooper, "Trash" (1989) marcou o seu regresso à ribalta. Produzido pelo reconhecido Desmond Child, o álbum tinha alguns convidados de eleição: Jon Bon Jovi, Richie Sambora e os Aerosmith. "Poison" tornou-se o primeiro single de Cooper a atingir o top ten americano desde 1977. Todavia, as edições seguintes não se provaram capazes de segurar o público que Cooper conseguira recuperar com "Trash". "Hey Stoopid" (1991) e "The Last Temptation" (1994) foram bem vistos pela crítica e ajudaram à consolidação de uma confortável imagem de culto de que Cooper podia gabar-se por essa altura. Em 2003, o músico lançou "The Eyes of Alice Cooper", numa altura em que estava um pouco afastado das luzes da ribalta, como resultado da ascensão generalizada do movimento nu-metal.
Como referenciar: Alice Cooper in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-20 16:28:40]. Disponível na Internet: