Alijó


Aspetos Geográficos
O concelho de Alijó, do distrito de Vila Real, localiza-se na Região Norte (NUT II) e no Douro (NUT III), 10 km a norte da margem direita do rio Douro, num planalto com cerca de 600 metros de altitude na serra granítica de Vilarelho. É limitado pelos seguintes concelhos: a norte por Murça, a este por Carrazeda de Ansiães do distrito de Bragança, a sul por S. João da Pesqueira do distrito de Viseu e a oeste por Sabrosa. O concelho situa-se na Região Demarcada do Vinho do Porto e é delimitado geograficamente pelos rios Douro, Pinhão, Tua e Tinhela. Ocupa uma área de 297,5 km2, na qual se distribuem 19 freguesias: Alijó, Amieiro, Carlão, Casal de Loivos, Castedo, Cotas, Favaios, Pegarinhos, Pinhão, Pópulo, Ribalonga, Sanfins do Douro, Santa Eugénia, São Mamede de Ribatua, Vale de Mendiz, Vila Chã, Vila Verde, Vilar de Maçada e Vilarinho de Cotas.
Em 2005, o concelho apresentava 14 005 habitantes. O natural ou habitante de Alijó denomina-se alijoense.
História e Monumentos
Alijó sofreu as vicissitudes resultantes da romanização e da ocupação mourisca. Implantada num eixo que servia de fronteira entre cristãos e árabes, foi, por várias vezes, destruída e posteriormente abandonada. Só a partir do século XII é que, graças aos forais concedidos por D. Sancho II (século XIII), D. Afonso III (século XIII) e por D. Manuel (século XVI), recomeçou o seu povoamento.
Neste concelho encontram-se numerosos vestígios da vida dolménica e castreja, salientando-se a Anta da Fonte Coberta, em Vila Chã, e as pinturas rupestres de Pala Pinta, em Carlão.
Do seu importante património arquitetónico destacam-se a Igreja Paroquial de Alijó, as pontes romanas de Carlão e Sanfins do Douro, a Capela de Nossa Senhora da Boa Morte em Pópulo, a Igreja Paroquial de S. Mamede de Ribatua, o Santuário de Nossa Senhora da Piedade em Sanfins do Douro, a Capela de Santa Bárbara e o Solar de Monterroio.

Tradições, Lendas e Curiosidades
Realizam-se algumas festas como a Romaria ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade, no segundo domingo de agosto; o Santo António, a 13 de junho, e o São João Batista, a 24 de junho, em Sanfins do Douro; o São Bartolomeu, a 24 de agosto em Casal de Loivos; o São Tiago, a 25 de julho, em Vila Chã; e a Romaria do Senhor Jesus da Capelinha, no segundo Domingo de julho, em Vilar de Maçada. Em Alijó, realizam-se as Festas de Santa Maria Maior, a 14 e 15 de agosto.
O feriado municipal ocorre a 11 de novembro, dia de São Martinho, altura em que se faz a feira dedicada a este santo.
O artesanato no concelho de Alijó está muito ligado aos bordados, à cestaria e às rendas.
Destaca-se a freguesia de Carlão com as suas termas de nascentes de águas sulfurosas.
Na gastronomia de Alijó dominam o cabrito assado, o cozido à portuguesa, as tripas à transmontana, os enchidos, a bola de carne e os pratos feitos à base de milho (sobretudo na montanha). Na doçaria, salientam-se as cavacas e as amêndoas cobertas, o pudim de amêndoa e o pão de ló de água, entre outros doces de origem conventual.
Economia
A produção vinícola é a atividade económica mais importante deste concelho, pois é da vinha e também da agricultura que continuam a viver a maioria dos seus habitantes. Para além do vinho do Porto e dos vinhos de mesa, nesta região também se produz azeite, cereais e fruta. É uma área rica em volfrâmio, possui fábricas de telha, tijolo, de moagens e lagares de azeite.
O turismo é outra atividade económica importante, pois Alijó possui um belo património natural, cultural e histórico de valor significativo.
Como referenciar: Alijó in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-12 20:50:27]. Disponível na Internet: