Alistair Cooke

Jornalista e homem da rádio norte-americano nascido a 20 de novembro de 1908, em Salford, na região de Manchester, na Inglaterra, com o nome de Alfred Cooke, e falecido a 30 de março de 2004, na sua casa em Nova Iorque.
Estudou numa escola em Blackpool, tendo então ganho uma bolsa para prosseguir a educação na Universidade de Cambridge, onde se licenciou em Inglês. Durante este período adotou legalmente o nome Alistair.
Graças a um protocolo entre os dois países partiu para os Estados Unidos da América em 1933, onde esteve dois anos a estudar nas universidades de Yale e Harvard. De regresso a Inglaterra em 1935, tornou-se crítico de cinema para a BBC e correspondente da estação de rádio norte-americana NBC. Todas as semanas enviava para os ouvintes norte-americanos uma crónica de quinze minutos sobre a vida na Grã-Bretanha, chamada "London Letter".
Em 1937 viajou de novo para os Estados Unidos da América, onde se instalou definitivamente, tendo adotado a nacionalidade norte-americana quatro anos mais tarde.
Propôs à BBC produzir algo semelhante ao que fazia antes em Inglaterra, uma crónica semanal de quinze minutos, mas sobre a vida na América. O programa começou a ser transmitido em fase experimental em 1938 com o nome "Mainly About Manhattan", mas foi interrompido durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). A 24 de março de 1946 as crónicas foram definitivamente retomadas tendo sido emitidas durante 58 anos, até 2 de março de 2004, altura em que as interrompeu a conselho médico, pouco antes de morrer. Ao todo fez quase 2900 crónicas. Foi a mais longa série de rádio do mundo a ser apresentada sempre pela mesma pessoa. De início chamavam-se "American Letter", mas em 1950 a designação mudou para "Letter from América".
As crónicas sempre tiveram grandes audiências em Inglaterra e em todo o mundo, pois eram transmitidas pelas BBC World.
Entretanto, desde 1947 Cooke era correspondente nos Estados Unidos da América do jornal Manchester Guardian, cargo que ocupou durante 25 anos. Também trabalhou como correspondente do The Times.
Em 1971 passou também a trabalhar em televisão, na estação pública PBS, onde apresentou durante vinte e dois anos um programa com o que de melhor que havia na televisão inglesa.
Em 1973 produziu uma série de treze episódios sobre a História da América que foi transmitida em simultâneo, e com grande êxito, em Inglaterra e nos Estados Unidos. Nesse ano foi nomeado Cavaleiro Honorário pela realeza britânica, mas não pôde utilizar o título de Sir por ter renunciado à cidadania inglesa.
Como referenciar: Alistair Cooke in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-18 04:39:37]. Disponível na Internet: