Artigos de apoio

Alvin Langdon Coburn
Fotógrafo norte-americano, Alvin Langdon Coburn nasceu em Boston, nos EUA, em 1882, e desde cedo começou a manifestar interesse pela fotografia. Aos oito anos recebe dos seus tios a primeira câmara fotográfica e, sob a influencia do fotógrafo F. Holland Day, acabaria por decidir dedicar-se à fotografia. Em 1899 parte para a Inglaterra, onde contacta com alguns dos mais conhecidos fotógrafos pictóricos da época.
Em 1901 regressa aos EUA, continuando a fotografar um pouco por todo o país. Acaba por abrir um estúdio em Nova Iorque, na Fifth Avenue. Conhece Gertrude Kasebier, uma referência na história da fotografia, e um contacto que também contribuiria para a sua formação na área.
É durante este período que começa a experimentar algumas técnicas de soft focus, substituindo as lentes da câmara por um cartão perfurado (pinhole).
Dois anos mais tarde torna-se membro da Photo Secession, de Alfred Stieglitz, e é também nesta altura que Coburn começa a experimentar novas técnicas, aplicando goma bicarbonato sobre a platina das fotografias.
Em 1904, Coburn é escolhido pela Metropolitan Magazine para realizar um conjunto de retratos dos principais artistas e autores literários britânicos, projeto que acabaria por consagrá-lo como um dos melhores retratistas da época.
Em 1912, manifesta pela primeira vez a sua tendência para a abstração: tira um conjunto de fotografias do topo dos arranha céus nova iorquinos, em que, com a câmara apontada para baixo, elimina a linha do horizonte, criando uma perspetiva abatida e uma visão abstrata até então nunca vistas.
Anos mais tarde, em 1917, realiza uma sucessão de imagens fotográficas com um espelho com efeitos caleidoscópicos à frente das lentes, repartindo assim o objeto fotografado num conjunto de planos não representacionais. Nasciam assim as primeiras fotografias puramente abstratas - "vortografias" -, como o próprio Coburn lhes chamaria.
Embora investisse na experimentação de novas técnicas, Coburn continuaria a trabalhar como retratista, realizando obras como Men of Mark, um livro onde reuniu dezenas de retratos de escritores e intelectuais da época.
Em 1930 doa a sua coleção de fotografias à Royal Photographic Society, e um ano mais tarde naturaliza-se britânico, fixando-se no País de Gales. É também nesta altura que deixa a fotografia de lado para se dedicar ao estudo da religião e do espiritual, temas que desde sempre o interessaram e que o influenciaram na fotografia.
Só muitos anos mais tarde, já na década de 50, voltaria à fotografia, embora limitando-se a realizar fotografias da Natureza e outros temas mais serenos.
Morreu em 1966, com 84 anos de idade.
Como referenciar: Alvin Langdon Coburn in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-11-24 10:52:58]. Disponível na Internet: