Amã


Aspetos Geográficos
Cidade e capital da Jordânia, Amã localiza-se numa área irregular do Noroeste do país. Originalmente edificada em sete colinas, abrange atualmente dezanove. As principais áreas da cidade possuem nomes correspondentes a essas colinas. Possui uma população estimada de cerca de 1 milhão de habitantes, embora chegue a atingir 2 100 000 (2005) se a considerarmos em conjunto com os subúrbios.

História e Monumentos A origem da cidade remonta ao Neolítico e por ela passaram diversas civilizações. Foi conquistada pelos Assírios, depois pelos Persas e a seguir pelos Gregos. A partir do ano 106 d. C. passou a ser controlada por Roma, formando com outras nove cidades a Decapolis. A cidade prosperou ao tempo dos califados, mas depois foi destruída por diversos terramotos e outros desastres naturais. Permaneceu uma pequena aldeia com uma série de ruínas até ao final do século XIX, altura em que passou a fazer parte do mapa comercial na sequência da construção do caminho de ferro que ligou Damasco a Medina. Em 1921, o rei Abdullah I escolheu-a para capital da Jordânia. Na altura, o rei tinha o seu gabinete numa carruagem de comboio, uma vez que não existia nenhum palácio real. A cidade manteve-se pequena até 1948, quando se deu uma expansão da população devido à chegada de muitos refugiados palestinianos. Sob a liderança dos reis Hussein e Abdullah II, a cidade conheceu um desenvolvimento muito rápido, particularmente depois de 1952 e graças às contínuas entradas de vagas de refugiados oriundos das guerras que afetaram a Palestina e o Iraque. Em 2005, ataques terroristas reivindicados pela organização islâmica Al-Qaeda chocaram esta pacífica cidade. O Templo de Hércules é um dos seus monumentos mais importantes, destacando-se ainda na cidade algumas das mais importantes mesquitas do Médio Oriente, como a enorme mesquita do rei Abdullah I, construída entre 1982 e 1989, com capacidade para 3000 pessoas.

Aspetos Turísticos e Curiosidades
O turismo na cidade incide particularmente na área antiga da mesma, situada à volta do velho mercado e da mesquita do rei Hussein. Mas é na zona leste da cidade que é possível explorar os melhores mercados, museus, monumentos e outras áreas de interesse cultural. Dadas as suas semelhanças com Roma, Amã ficou conhecida como a Roma do Médio Oriente. Fora, mas muito próximos da cidade, situam-se diversos outros locais de interesse turístico: o local onde se acredita ter ocorrido o batismo de Jesus Cristo, o monte Nebo (onde supostamente Moisés terá morrido) ou as belas praias de Aqaba.


Economia
Centro comercial do país, a cidade é também um importante centro industrial e de artesanato. O principal aeroporto do país situa-se a cerca de 30 minutos de automóvel para sul da cidade. Possui também frequentes ligações de autocarro a outras cidades nacionais e também dos países vizinhos.
Como referenciar: Amã in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-15 06:59:37]. Disponível na Internet: