ambiguidade lexical

Diz-se que estamos perante um caso de ambiguidade lexical sempre que uma palavra autorize pelo menos duas interpretações num dado contexto. As palavras homónimas, por apresentarem o mesmo significante (a mesma forma escrita e fónica) constituem os casos em que se verifica a ambiguidade lexical. Trata-se de um assunto analisável em semântica e em lexicografia. As anedotas servem-se muitas vezes de operações de ambiguidade lexical para a criação do humor. Seguem-se alguns exemplos de ambiguidade lexical:

A secretária do meu escritório é muito bonita. (secretária = funcionária/ secretária = mesa)

Os ministros devem aterrar a qualquer momento.
(aterrar = causar terror/ aterrar = aproximar-se do solo)
Como referenciar: Porto Editora – ambiguidade lexical na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-08 16:12:55]. Disponível em