An

Era o deus sumério dos demónios, dos espíritos e do céu. Procriou com Nintu muitos dos restantes deuses do panteão. Os seus pais foram Kishar (a terra) e Anshar (o céu), e ele vivia no terceiro céu. Para os babilónicos e assírios este deus tinha o nome de Anu.
Era pai dos Anunnaki (ou Anunnaku, povo vindo de um planeta chamado Nibiru ou Marduk à procura de ouro e outros minerais, passando por esta razão a serem divindades do mundo subterrâneo), dos Utukki, sete demónios maléficos e de Ea (ou Enki). Antu foi a sua primeira mulher, seguindo-se Innana (ou Ishtar). Pode aparecer também como sua mulher Nammu, em vez de Nintu. Repartiu o céu e a terra com En-lil, tendo ficado este último com a terra. Os dois deuses partilharam pelos reis e deuses as terras que possuíam, regidas pelas suas leis (me), e tornaram Ziuzudra imortal depois da inundação.
An era representado como um chacal, aparecendo também com dois pares de cornos de boi (animal que lhe era dedicado), a ornar uma tiara, e um cetro. O seu símbolo era uma estrela, uma vez que possuía estrelas que lançava com muita força, chamadas kishru's.
O principal templo dedicado a este deus situava-se em Erech (ou Uruk) e tinha o nome de E Anna (casa de An). Este deus criava por meio da palavra e era considerado o protetor dos reis, não sendo muito amável com o comum dos mortais.
Como referenciar: An in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-09 05:32:47]. Disponível na Internet: