André Courrèges

Estilista francês nascido em 1923, em Pau. Na juventude, estudou engenharia na Escola Nacional de Pontes e Pavimentos na sua cidade natal, e foi nessa época que descobriu o desenho e a arquitetura. Esta ligação à arquitetura viria mais tarde a notar-se nas suas criações de moda com a atenção que deu à estrutura das roupas.
Com 22 anos, depois de ter sido piloto da força área e de já ter trabalhado na confeção de roupa de homem num alfaiate de Pau, mudou-se para Paris. Na capital francesa desenhou modelos para uma casa de roupa ao mesmo tempo que estudava na Escola Superior da Indústria do Vestuário.
Em 1950, foi trabalhar como cortador para a casa do conceituado costureiro Balenciaga e foi aqui que compreendeu a importância da costura e das provas. Onze anos depois, André Courrèges, juntamente com a mulher, criou a sua própria casa de moda, tendo sido financiado por Balenciaga. A decoração dos seus espaços de trabalho servia logo para mostrar a sua preferência pelo modernismo pois consistia em paredes vazias, grandes espaços e cores claras.
Apresentou a sua primeira coleção em 1962, mas foi três anos mais tarde que revolucionou a moda parisiense, com as peças "mini".
A coleção apresentada em 1965 foi bem demonstrativa do seu gosto pois apostava em minissaias, collants e calças que, com adereços como botas, capas e chapéus, formavam no conjunto um estilo do tipo ficção científica, bastante popularizado na época pela banda desenhada e pelos desenhos animados. As roupas criadas pelo estilista de Pau eram simples, essencialmente brancas ou com cores puras, recorrendo para a sua confeção a malhas ou aos então novos materiais como os têxteis sintéticos. Esta combinação, que gerou um tipo de roupa futurista, foi bem aceite pelo público e pela crítica.
Courrèges vestia ele próprio a roupa que criava e promovia sessões fotográficas de moda em ambientes modernos, onde entravam elementos como máquinas, velocidade e tecnologia.
O estilista introduziu ainda novidades como combinações em vinil, perucas coloridas e óculos brancos com uma frincha horizontal.
Aos poucos, foi deixando de fazer alta-costura para se dedicar essencialmente ao pronto-a-vestir que considerava ser o futuro da moda. A partir de 1967, lançou uma série de linhas da sua marca.
Courrèges, que ainda viria a voltar a fazer alta-costura, nunca seguiu as tendências gerais da moda e manteve-se sempre fiel ao seu estilo simples e prático. Em 1973 lançou a sua primeira coleção de roupa masculina.
Na década de 80, abandonou de novo a alta-costura e dedicou-se ao pronto-a-vestir, aos acessórios de moda e a objetos de design. Entretanto, em 1971 já tinha apostado também no lançamento de perfumes tendo começado com "Empreinte", a que se seguiram "Courrèges in Blue", em 1983, "Sweet Courrèges", em 1993, e "2020", em 1997.
Já em 1994, com 71 anos, confiou ao estilista Jean-Charles de Castelbajac a criação de duas coleções para a sua casa.
Como referenciar: André Courrèges in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-21 15:03:25]. Disponível na Internet: