Anthony Giddens

Sociólogo britânico, Anthony Giddens nasceu em 1938. Contribuiu largamente para a interpretação da teoria sociológica clássica e desenvolveu críticas àquilo que identificou como limitações teóricas do materialismo histórico. Giddens introduziu o termo "estruturação" para designar a dependência mútua entre a agency humana (capacidade de realizar coisas) e a estrutura social. Para este autor, as estruturas sociais não são barreiras repressoras da ação humana nem impedem a capacidade de ação do agente social. As estruturas sociais estão, pelo contrário, intimamente implicadas na produção da ação, já que fornecem os meios pelos quais os atores sociais agem, bem como os resultados dessa ação.
Crítico da chamada pós-modernidade, Giddens prefere falar na reflexividade da modernidade (incorporação rotineira de novos conhecimentos ou informação em ambientes que deste modo são reorganizados) e na modernidade tardia, marcada pela radicalização e globalização de traços básicos da modernidade). Giddens apresenta a reflexividade como importante no desenvolvimento do self.
Também explorou os problemas da análise de classes, o impacto dos conflitos internacionais nas relações sociais e a sociologia das emoções. Foi-lhe atribuído a 29 de maio de 2002 o Prémio Príncipe das Astúrias para as Ciências Sociais, pelo seu contributo na área de desenvolvimento estrutural das sociedades avançadas.
Obras principais:
-Capitalism and Modern Social Theory (1971)
-New Rules of Sociological Method (1976)
-Sociology (1982)
-The Consequences of Modernity (1990)
-Modernity and Self-Identity (1991)
-The Third Way (1998)
Como referenciar: Anthony Giddens in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-19 14:34:10]. Disponível na Internet: