António Assis Júnior

Advogado, jornalista e escritor angolano nascido a 13 de março de 1887, em Luanda, e falecido a 27 de maio de 1960, em Lisboa.
Assis Júnior foi várias vezes preso, como sucedeu em 1917, acusado de ser um dos responsáveis do Movimento Nativista ou Revolta de Nativos e também, em 1922, durante os acontecimentos de Catete. Foi o primeiro Presidente da Liga Nacional Africana, em 1930, foi diretor de A Província de Angola e de O Angolense, e fundador da revista Angola. Enquanto advogado, exerceu o cargo de procurador judicial das populações autóctones, sobretudo em litígios de expropriação de terrenos. Foi-lhe determinada residência em Portugal, como preso político, nos anos 50 e 60. Aí, a convite de Rodrigo Sá Nogueira, professor de português, estudou quimbundo na Escola Superior Colonial, vindo, mais tarde, a publicar o Dicionário Quimbundo-Português.
Destacou-se como uma das figuras de maior relevo na vida intelectual angolana, em finais do século XIX e inícios do século XX. Escreveu Relato dos Acontecimentos de Dala Tando e Lucala (1917) e O Segredo da Morta (um romance de costumes angolenses).
Como referenciar: António Assis Júnior in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-26 01:16:05]. Disponível na Internet: