António Baião

Historiador português, António Eduardo Simões Baião nasceu a 10 de outubro de 1878, em Alqueidão de Santo Amaro, em Ferreira do Zêzere, no distrito de Santarém.

Em 1900, concluiu o curso de Direito, na Universidade de Coimbra e foi lecionar para o Liceu de Santarém, por um curto período de tempo. Foi também docente de várias escolas industriais e comerciais, como a de Machado de Castro e a de Ferreira Borges, entre outras.
Em 1902, foi designado para exercer funções no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, do qual veio a ser diretor, em 1908, e onde se manteve durante 40 anos. Foi ainda diretor da Revista Pedagógica, entre 1903 e 1905.

Dedicou a sua investigação à Inquisição, sobre a qual redigiu mais de duas centenas de pequenos estudos que permitiram esclarecer diversos factos da história portuguesa.

Para além desses estudos e de outros redigidos para os Anais da Academia Portuguesa de História, António Baião publicou algumas obras importantes, como O Arquivo da Torre do Tombo (1905, em colaboração com Pedro de Azevedo), A Inquisição em Portugal e no Brasil (1906), O Matemático Pedro Nunes e a sua Família (1915), Episódios Dramáticos da Inquisição Portuguesa (1919-1938, 3 volumes), O Livro de Português (1924) e A Inquisição de Goa (1929-1930, 2 volumes).

António Baião faleceu a 21 de maio de 1961, em Lisboa.
Como referenciar: António Baião in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-19 07:39:02]. Disponível na Internet: