António de Navarro

Poeta, frequentou o curso de Direito da Universidade de Coimbra, acabando por formar-se em Lisboa na Escola Superior Colonial. Entre 1939 e 1940, trabalhou em Moçambique, na Junta de Exportação de Algodão Colonial, pedindo posteriormente transferência para Lisboa. Colaborou em várias publicações periódicas, como Bysancio, Portucale, Contemporânea, Presença, Cadernos de Poesia, Vértice ou O Diabo. Normalmente integrado no grupo presencista, António de Navarro integra na sua poesia a compreensão do revolucionarismo do Orpheu, constituindo, pelo pendor para a visão vertígica e onírica da realidade, uma das vozes mais próximas da componente vanguardista do modernismo manifestada na Presença.
Como referenciar: António de Navarro in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-05 11:07:52]. Disponível na Internet: