António Figueiredo Lopes

Político português, António Jorge de Figueiredo Lopes nasceu em 1937, em Viseu. Licenciou-se em Direito pela Universidade de Lisboa. Entre 1974 e 1979 foi diretor-geral da organização Administrativa, mas ainda em 1978 assumiu o cargo de Secretário de Estado da Administração Pública num Governo que era liderado por Nobre da Costa. No ano seguinte o Governo passou a ser liderado pelo social-democrata Carlos da Mota Pinto, mas António Figueiredo Lopes manteve-se à frente da mesma Secretaria de Estado. Viria a mudar em 1980, pois passou a Secretário de Estado do Orçamento quando Francisco Sá Carneiro, também do Partido Social Democrata (PSD), assumiu o poder. Aníbal Cavaco Silva era, então, o ministro da Economia e Finanças. Em 1981, ano em que se filiou no PSD, Figueiredo Lopes passou a Secretário de Estado da Reforma Administrativa, função que desempenhou até 1983, quando se tornou Secretário de Estado da Defesa Nacional. Manteve-se neste cargo até 1985, mas saiu por causa de uma ação judicial que lhe imputava responsabilidades por conduta irregular. A ação dizia respeito a um despacho que assinou enquanto Secretário de Estado do Orçamento, em 1980, mas acabou por ser considerado improcedente.
A partir de 1985 passou a ser deputado à Assembleia da República, eleito pelo círculo de Viseu, mudando para idênticas funções no Parlamento Europeu três anos mais tarde. A nível europeu foi funcionário da Comissão Europeia, conselheiro na Fundação Jacques Delors e vice-presidente do Conselho Científico do Instituto Europeu de Administração Pública, em Maastricht, na Holanda.
Em 1991 regressou à liderança da Secretaria de Estado da Defesa Nacional a convite do então primeiro-ministro Cavaco Silva. Com o então Ministro da Defesa, Fernando Nogueira, foi um dos obreiros das reformas nas Forças Armadas. Manteve-se no posto até 1995, altura em que subiu a Ministro da Defesa para substituir Fernando Nogueira, que havia passado a liderar o PSD. Esteve poucos meses em funções porque, entretanto, o Partido Socialista foi eleito para governar Portugal. Figueiredo Lopes regressou então à Assembleia da República como deputado.
Em abril de 2002, dá-se o retorno à governação do PSD e, também, de Figueiredo Lopes, desta vez como Ministro da Administração Interna, fazendo parte de um executivo liderado por Durão Barroso. Foi substituído por Daniel Sanches a 14 de julho de 2004, altura em que tomou posse o XVI Governo Constitucional liderado por Santana Lopes.
Como referenciar: António Figueiredo Lopes in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-10 07:22:29]. Disponível na Internet: