António Gramsci

Filósofo e escritor italiano, nascido em 1891 e falecido em 1937, oriundo de uma família muito pobre, estudou Linguística na Universidade de Turim graças a uma bolsa de estudos que ganhou. Participa ativamente em 1921 na fundação do Partido Comunista Italiano, tendo-se tornado um dos seus dirigentes. É preso, em 1926, pelo regime fascista que o condenou a 20 anos de prisão. Durante o julgamento, a acusação pediu ao juiz que "parasse este cérebro de pensar durante 20 anos". Contudo, manteve na prisão intensa atividade e registou, entre 1929 e 1937, os seus escritos em trinta e dois cadernos que viriam a ser publicados em 1951 sob o título Cadernos do Cárcere. Enquadrando-se na corrente marxista, vai refletir sobre o problema dos intelectuais no percurso histórico italiano. Influenciou fortemente a escola crítica e histórica marxista. De entre as suas obras pode-se destacar: Gli intellettuali e organizzazione della cultura, Il Risorgimento e Letteratura e vita nazionale. Acabou por morrer na prisão.
Como referenciar: António Gramsci in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-21 06:24:58]. Disponível na Internet: